Abaixo-assinado nos EUA pede que dicionário mude definição de 'casamento' e inclua LGBTs

Reivindicação surge em meio à oficialização da união de pessoas do mesmo sexo em diversos estados dos EUA.

Por Fillipe Mauro, do OperaMundi
(Foto: Reprodução)(Foto: Reprodução)
Em meio à intensificação dos debates sobre a legalização da união civil entre pessoas do mesmo sexo nos EUA, um ativista do estado de New Hampshire decidiu lutar por uma pequena mudança capaz de semear gestos de tolerância e aceitação.

Com o auxílio do site change.org, uma rede social que reúne abaixo-assinados dos mais diversos movimentos sociais, Mike Raven idealizou uma petição para tentar convencer dicionários a modificar a definição do verbete “casamento”.

Na carta que acompanha o documento virtual, ele se justifica e diz que, "se todos os argumentos [contrários] surgem de uma definição intangível de casamento, então é hora de modificar essa definição”. Isso porque "enquanto não há como alterar a maneira opressiva e discriminatória com a qual algumas religiões continuam definindo casamento, podemos recorrer a um lugar ainda melhor: os dicionários”.

A ideia surgiu quando Raven se deparou com as frustrações vividas por sua irmã gêmea, uma militante lésbica que se indignou com a notícia de que o Executivo do Estado da Carolina do Norte havia vetado a lei que permitia o casamento igualitário.

Seu principal alvo é o site Dictionary.com, cuja audiência mensal ultrapassa a marca dos 50 milhões de leitores. Lá, a definição para o verbete “casamento” se limita à “instituição social sobre a qual um homem e uma mulher estabelecem sua decisão de viver como marido e esposa”.

A sugestão de Raven é de que essa definição passe a ser “o ingresso consensual de dois adultos em uma relação de longo prazo como marido e esposa, marido e marido, ou esposa e esposa, com base no amor e no comprometimento".

Em nota ao portal Huffington Post, o Dictionary.com lembrou que, na segunda definição para o verbete, há uma concessão para a união de pessoas do mesmo gênero. Contudo, para Raven, isso não é suficiente, pois, para ele, essa concepção “está separada mas é a mesma”. O dicionário não deu previsões sobre quando modificará sua definição.

O casamento igualitário ainda não é reconhecido nacionalmente. Ainda assim, seis estados e o Distrito de Columbia aprovaram regulamentações que autorizam leis de igualdade nas uniões civis. Enquanto isso, Raven já conta com sete mil assinaturas de uma meta de dez mil.

 
Encontre-nos no Google+