Corte da Colômbia garante a gay direito de adotar duas crianças

Ex-jornalista do ‘New York Times’ foi impedido de adoção após informar orientação sexual.

Do Gay1 Mundo, com Agências Internacionais
O jornalista americano Chandler Burr (Foto: Reprodução)O jornalista americano Chandler Burr
(Foto: Reprodução)
A Corte Constitucional da Colômbia garantiu o direito de um jornalista americano gay de adotar duas crianças, após o instituto local que trata dos direitos dos menores negar lhe a custódia, argumentando risco para as crianças. Para a corte, a orientação sexual do norte-americano não afeta o processo de adoção, nem consiste em uma ameaça aos direitos das crianças.

Na manhã desta quarta-feira, o ex-colunista do “New York Times”, Chandler Burr denunciou em um programa da CNN sua via-crúcis para obter seus filhos de volta. A história começou no verão de 2009, quando as crianças passaram cinco semanas com Burr, em Nova York. Em março de 2010, o jornalista começou o processo de adoção formal dos dois meninos — agora com 9 e 13 anos — por meio do Instituto Colombiano do Bem-estar Familiar (ICBF). Foi somente um ano depois, em março de 2011, que começaram os problemas.

De acordo com Burr, depois de mencionar a sua sexualidade em uma conversa informal, um advogado que representa o ICBF tirou as crianças de seus cuidados e os interrogou sobre o assunto, antes de notificar a Burr que ele não seria capaz de levá-los de volta para os EUA.

Em entrevista a uma rádio colombiana, o novo diretor de ICBF, Diego Molano, defendeu a decisão e afirmou que o instituto tem “o direito de saber quem o pai é”. Ainda segundo Molando, Burr havia escondido uma informação importante, ao não revelar sua orientação sexual.

Os juízes colombianos consideraram que a separação das crianças e Burr as afetou e lamentaram que o instituto não tenha levado em consideração a opinião dos menores em questão, que desejavam ficar com seu pai adotivo.

 
Encontre-nos no Google+