Governo fecha Bar Barulho e nega perseguição homofóbica, diz site

Agência de Fiscalização afirma que atuação é técnica e que denúncia pode ter colocado o bar em evidência.

Do Gay1 DF, com informações do Parou Tudo
Bar Barulho (Foto: Hernanny Queiroz/Arquivo/Gay1)Policiais, Vara da Infância e Juventude juntamente com
a Agefis, fecharam o Bar Barulho nesta última
quinta-feira, 24/05/2012 (Foto: Arquivo/Gay1)
Na noite da quinta-feira 24, a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), lacrou o Bar Barulho. O dono do estabelecimento, Edvaldo Silva, disse ao site Parou Tudo que eram tantas viaturas da polícia que parecia algo cinematográfico.

“Nossa, até helicóptero tinha. Fizeram averiguação à procura de drogas. Não acharam nada. E tudo começou com uns policiais à paisana que estavam bebendo no bar pouco antes.”

Segundo o site, o lugar não tem documento necessário para estar aberto, tal como um alvará ou licença provisória, mas que essa é a situação de vários outros estabelecimentos do Parque da Cidade, onde fica localizado o Bar Barulho.

E vai além: “Isso faz parte de uma tal de revitalização do parque. E eles não querem o tipo de clientela que temos.”

A assessoria de imprensa da Agefis alega não fazer nenhum tipo de perseguição a segmentos de pessoas e que age sempre com critérios técnicos. A regra é clara ao determinar que estabelecimentos sem alvará ou licença devam ser fechados.

A respeito da ação em outros estabelecimentos, o órgão afirma que a atuação no Bar Barulho pode ter sido motivada por denúncias na ouvidoria da Agefis, o que faz a ação ser pontual. Mas que também pode ocorrer de a ação estar dentro de um cronograma de averiguação. Na quinta-feira, seria a vez do Bar Barulho, que desde então, não funciona. O proprietário está na tentativa de reabrir o estabelecimento.

 
Encontre-nos no Google+