'Ser mulher transcende uma vagina', diz a transexual Carol Marra

Modelo, destaque do desfile de Victor Dzenk nesta quarta-feira, 23, conta que sonha casar na igreja: 'O príncipe vai aparecer'.

Por Juliana Guterres

Carol Marra (Foto: Juliana Guterres)Carol Marra deixa a passarela após o desfile
(Foto: Juliana Guterres)
A modelo transexual Carol Marra foi o destaque do desfile do estilista Victor Dzenk nesta quarta-feira, 23, no Fashion Business. Antes de pisar na passarela montada no Complexo Esportivo da Rocinha, no Rio, Carol conversou com a imprensa e disse não se importar com a curiosidade do público em vê-la desfilando de maiô, por ser transexual.

"Sei que não sou convidada por isso, mas por minha capacidade profissional. É claro que todo mundo fica tentando imaginar como consegui esconder meu órgão sexual, as pessoas gostam do burburinho. Mas o bom de ter testosterona é que não vão ver nenhuma estria ou celulite", disse ela, que ainda não fez a cirurgia de redefinição sexual por falta de tempo.

"Quero me sentir plena, mas sei quer ser mulher transcende uma vagina. A transexual é uma alma feminina num corpo de homem", disse.

Com 24 anos, Carol, que é também jornalista e se vangloria por ser "a primeira repórter transexual da TV brasileira", lamentou ainda fazer parte de uma minoria no mundo da moda e falou sobre a vontade de casar na igreja e de adotar uma criança.

"Nunca me prostitui, sou de família e me acho bonitinha. Um dia o príncipe vai aparecer e quero casar vestida de noiva, com tudo que tenho direito. Acho que esse é o sonho de toda mulher", disse Carol, que está solteira.
 
Encontre-nos no Google+