Acusado de tentar matar travesti em Bauru, SP, será julgado

Evelyn foi agredida com facadas, chutes e socos e passou quase 30 horas agonizando; relembre o caso.
Acusado de tentar matar travesti em Bauru, SP, será julgado
Do Gay1 SP

Começa na próxima segunda-feira (18), o julgamento de Carlos Augusto Jeronymo Pinto, 31 anos, acusado de tentativa de homicídio contra a travesti Evelyn Ubber, em Bauru, em fevereiro deste ano.

O acusado foi preso acusado de agredir Evelyn com facadas no pescoço, chutes na cabeça e socos no rosto. A prisão do acusado contou com um trabalho de investigação intenso dos policiais militares. Com a informação dada pela vítima de que o agressor teria atolado o carro e chamado um guincho após as agressões, os policiais fizeram diversos contatos e receberam a informação de que um carro com as características do acusado (Corsa prata) estaria numa oficina no Jardim Bela Vista.

Histórico
Carlos já teria participado de agressões a outras travestis. Segundo informações preliminares da PM, ele teria agredido outras duas travestis na cidade. Além disso, Carlos também tem passagem pela polícia por agressão.

Relembre o caso
Evelyn fazia ponto próximo ao supermercado Confiança Flex quando foi convidada pelo agressor para um programa. Ela não voltou para casa, o que deixou colegas e familiares em alerta – um boletim de ocorrência de desaparecimento foi lavrado na delegacia.

Na manhã do dia seguinte, amigos e integrantes da ABD (Associação Bauru pela Diversidade) começaram a procurar Evelyn e foram avisados, por um motoqueiro, de que ela estaria em um matagal perto do motel Eros.

Evelyn estava toda machucada, sem condições de andar e com ferimentos de faca no pescoço. A vítima foi levada ao Pronto-Socorro Central, onde foi medicada e relatou a agressão. Disse ter sobrevivido porque se fingiu de morta e que acabou comendo mato para não morrer. Foram 30 horas de agonia.

 
Encontre-nos no Google+