Ator pornô canibal é extraditado da Alemanha para o Canadá

Da Agência EFE
Luka Rocco Magnotta é visto em imagem de arquivo (Foto: AFP)Luka Rocco Magnotta é visto em imagem de arquivo (Foto: AFP)
O modelo e ator pornô, Luka Rocco Magnotta, reivindicado pelo Canadá como suspeito de ter assassinado, esquartejado e comido partes do corpo de um estudante chinês, está a caminho seu país após ter sido extraditado da Alemanha.

"Nesta segunda-feira, Luka Rocco Magnotta foi retirado de Berlim por um veículo militar canadense sob a custódia da polícia", disseram através de um comunicado os ministros canadenses de Justiça, Rob Nicholson, e de Segurança Pública, Vic Toews.

Magnotta estava detido na Alemanha, à espera de sua extradição ao Canadá, desde o último dia 4 de junho quando o suspeito do brutal assassinato do estudante Lin Jun, de 33 anos, foi detido em um cibercafé da capital alemã. Não foi informando ainda qual é o destino do avião militar que leva Magnotta ao Canadá.

A polícia de Montreal acusou o ator pornô de homicídio de primeiro grau, atos indecentes com um cadáver e outras acusações após a aparição no final de maio de restos humanos em pacotes postais e um tronco em uma rua de Montreal. Segundo a polícia, Magnotta, 29 anos, assassinou Lin Jun entre os dias 24 e 25 de maio e posteriormente esquartejou seu corpo, com o qual realizou atos de necrofilia e canibalismo.

Magnotta enviou um pé e uma mão por correio às sedes do Partido Conservador e do Partido Liberal. A outra mão e o outro pé foram enviados também por correio a duas escolas de Vancouver e descobertas no último dia 5 de junho. O tronco do corpo decapitado de Lin Jun foi descoberto no dia 29 de maio dentro de uma mala jogada no lixo nas ruas de Montreal.

Aparentemente, Magnotta viajou no dia 26 de maio de Montreal até Paris antes que o assassinato fosse descoberto. Posteriormente, se transferiu a Berlim em ônibus. Um vídeo que circula pela internet registra o assassinato, o esquartejamento, a necrofilia e o canibalismo cometidos por Magnotta. As autoridades canadenses ainda não recuperaram a cabeça de Lin Jun.

 
Encontre-nos no Google+