Ator pornô que picou e comeu amante namorava transexual que se arrepende do envolvimento: ‘Fiquei enojada’

Do Gay1 Mundo
Barbie namorou acusado por quatro meses (Foto: Reprodução)Barbie namorou acusado por quatro meses
(Foto: Reprodução)
O ator pornô Luka Magnotta, de 29 anos, que chocou o Canadá ao ser acusado de matar o amante Lin Jun, de 33, picar seu corpo e comer partes dele, era bissexual e também tinha uma amante transexual chamada Barbie. A loura deu entrevista ao jornal The Sun e afirmou que Magnotta a levou para assistir ao filme “Instinto Selvagem II” em que uma cena incluía um assassinato com a mesma arma usada por ele no crime: uma picareta de quebrar gelo.

“Quando ouvi que Luka era suspeito de matar um homem, fiquei enojada e perturbada. Queria nunca ter encontrado esse monstro. Me sinto péssima de pensar que posso ter saído com um homem que tenha feito uma coisa tão horrível”, diz ela, que sofreu consequências psicológicas pelo crime: “Tinha ataques de pânico porque ele sabia onde eu morava, e ficava achando que ele viria atrás de mim”.

Barbie chegou a morar com o suspeito em Toronto. “Eu me apaixonei por ele, mas tenho que admitir que ele poderia ter matado mais pessoas”.

Magnotta foi preso há duas semanas na Alemanha (Foto: Reprodução)Magnotta foi preso há duas semanas na Alemanha
(Foto: Reprodução)
Os dois se conheceram em um clube LGBTS de strip. Quando foram ao cinema juntos assistir ao filme, Barbie conta que Luka ficou excitado: “Ele segurou minha mão com força durante a cena em que alguém era morto com a picareta”.

O namoro dos dois durou quatro meses e, segundo Barbie, eles faziam sexo com pouca frequência, apesar de Magnotta ser ator pornô e garoto de programa. ”Ele tinha problemas na vida sexual. Nunca queria fazer sexo comigo ou me beijar. Só queria segurar a minha mão”, conta a ex.

Magnotta foi preso há duas semanas na Alemanha, em um esforço internacional que envolveu também a China, país onde nasceu a vítima. Atualmente, ele aguarda a extradição para o Canadá.

Além do crime bárbaro, Magnotta enviou pés e as mãos da vítima para os dois principais partidos políticos do Canadá e para duas escolas da cidade de Vancouver. Ele também filmou o homicídio e colocou o vídeo na internet, o que, para Barbie, significa que o desejo dele era ficar famoso: “Ele sempre dizia que queria ser conhecido um dia”.

Meses antes do crime, o acusado publicou na web vídeos em que ele mata filhotes de gato.

 
Encontre-nos no Google+