Jovem que gravou relação sexual de colega gay é solto nos EUA

Dharun Ravi tinha pego 30 dias de prisão e três anos de liberdade assistida.
Ele divulgou vídeo que fez Tyler Clementi, de 18 anos, se suicidar em 2010.


Do Gay1 Mundo
Dharun Ravi foi solto após 20 dias preso (Foto: Reprodução)Dharun Ravi foi solto após 20 dias preso (Foto: Reprodução)
Um ex-aluno da Universidade de Rutgers, em New Jersey, Estados Unidos, foi solto nesta terça-feira (19) após passar 20 dias na cadeia por ter utilizado uma webcam para espionar seu colega de quarto. Dharun Ravi, de 20 anos, assistiu pela webcam a seu colega Tyler Clementi beijar outro homem, e depois divulgou o fato através do Twitter, SMS e via programas de mensagens instantâneas. Alguns dias mais tarde, Clementi cometeu suicídio pelo ocorrido.

Em sua defesa, Ravi alegou que instalou a webcam para evitar que o visitante de Clementi roubasse seu iPad. Condenado a 30 dias de prisão, ele teve sua pena reduzida por bom comportamento e por ter trabalhado durante o tempo em que esteve na cadeia. Agora, terá que cumprir três anos de liberdade condicional e prestar 300 horas de serviço comunitário, além de pagar US$ 11 mil em multas (cerca de R$ 22.500).

A acusação solicita uma punição mais severa para Ravi, um cidadão indiano que está legalmente nos Estados Unidos e não corre risco de ser deportado, segundo as autoridades de imigração. A lei americana prevê penas de até dez anos de detenção para casos como esse.

O caso provocou debates entre a comunidade LGBT por todo o país. Algumas pessoas argumentam que a pena imposta foi muito leve, enquanto outras alertam que atrair a atenção da opinião pública para uma condenação mais rígida é uma forma de tirar o foco de uma discussão mais ampla, sobre o impacto emocional e psicológico sofrido por LGBTs que não recebem apoio de seus entes queridos.

 
Encontre-nos no Google+