Polícia apura tiro em gay durante Parada do Orgulho LGBT em Fortaleza

Jovem baleado e testemunhas prestam depoimento na quarta-feira (27).
Gay foi baleado na perna após ser xingado no trânsito.

Polícia apura tiro em gay durante Parada do Orgulho LGBT em Fortaleza
Do Gay1 Brasil

A Polícia Civil iniciou nesta quarta-feira (27) a denúncia de um tiro contra um jovem gay durante a Parada do orgulho LGBT de Fortaleza, realizada no domingo (24). Segundo a polícia, o homem baleado e os amigos que testemunharam o tiro prestaram depoimento, o que dará início às investigações. O jovem foi baleado na perna após receber xingamentos homofóbicos.

"Passou um carro, com uns caras dentro e começaram a xingar meus amigos. Meu amigo respondeu, ficaram discutindo, meu amigo tacou a mão no revólver e sai andando. Aí o cara pega, na hora que o sinal abre, e atira na minha perna", detalha.

De acordo com a titular da Coordenadoria da Diversidade Sexual da prefeitura de Fortaleza, Luana Marley, esse tipo de crime é recorrente durante a Parada LGBT na capital cearense. "A coordenadoria já tomou conhecimento de outros casos que ocorrerem em 2006, 2007, 2008 e isso demonstra mais ainda o quanto a gente vai ter que trabalhar para combater a homofobia", diz.

O amigo que testemunhou o crime diz ter "certeza" que o crime tem motivação homofóbica: "quem vai a um evento como a Parada Gay armado, sabendo o que vai encontrar, certamente vai cometer um crime homofóbico. Antes de disparar ele fez vários xingamentos homofóbicos", diz.

O amigo do jovem baleado diz ainda que o crime ocorreu próximo a um restaurante que possui sistema de câmeras que podem ter filmado o tiro e sugere a polícia que faça uso das imagens para tentar identificar o suspeito. A Polícia Civil não confirmou até a tarde de terça-feira se vai requisitar ou não as imagens do restaurante.

A XIII Parada do Orgulho LGBT de Fortaleza foi realizada neste domingo na Avenida Beira-Mar, um dos principais cartões postais da capital cearense, e reuniu cerca de um milhão de pessoas de acordo com a Polícia Militar. O evento teve como tema neste ano "Homofobia tem cura: criminalização e educação", e pedia que a homofobia fosse considerada crime.

 
Encontre-nos no Google+