Polícias Militar e Civil terão homens à paisana na 16ª Parada LGBT

Do Gay1 SP
No ano passado, A 15º Parada do Orgulho LGBT de SP levou cerca de 4 milhões à avenida Paulista (Foto: Rivaldo Gomes)No ano passado, A 15º Parada do Orgulho LGBT de SP
levou cerca de 4 milhões à avenida Paulista
(Foto: Rivaldo Gomes)
Para garantir a segurança da 16ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo policiais militares e civis à paisana atuarão no evento que acontece neste domingo (10) na avenida Paulista, região central.

Segundo o investigados da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), Nelson Collino Jr., 18 homens trabalham desde hoje nas ruas para coibir possíveis atos de violência durante a Parada e nos outros eventos que fazem parte da programação.

"A Decradi estará focada nos grupos de intolerância que podem vir a atuar durante o evento porque temos mais facilidade em indentificá-los, mas vamos atuar em qualquer outro tipo de crime que venha a ocorrer", afirmou Collino Jr.

De acordo com o investigador, um monitoramento do evento está sendo feito desde o início da semana passada, inclusive em redes sociais. "Até agora não houve nenhuma denúncia que exigiu uma investigação maior", disse.

Entre os 1.500 policiais militares, estarão também presentes homens sem farda com o propósito de não serem identificados por possíveis criminosos que venham a atuar na Parada.

Para ajudar no monitoramento, cerca de 20 câmeras fixas espalhadas pela região onde a Parada acontece serão alvo de monitoramento policial. Alguns PMs também estarão com câmeras móveis, que transmitirão imagens para a central de monitoramento da PM.

 
Encontre-nos no Google+