Adolescentes são apreendidos por morte de gay a facadas em Sergipe

Delegado diz que os dois confessaram ter esfaqueado a vítima.
Eles praticaram o ato infracional e seguiram para uma festa.


Por Marina Fontenele
Delegado Hugo Leonardo detalha apreensão dos adolescentes (Foto: Flavio Antunes)Delegado Hugo Leonardo detalha apreensão dos adolescentes (Foto: Flavio Antunes)
Dois adolescentes de 15 e 17 anos foram apreendidos na tarde desta quinta-feira (12) no município de Estância, em Sergipe. Eles são suspeitos de envolvimento no homicídio do professor de dança, de 39 anos, que foi assassinado a facadas na madrugada de domingo (8) dentro da própria casa. Segundo a delegada Michele Araújo dos Santos, os adolescentes confessam o homicídio.

“Os jovens foram à residência da vítima para pegar a motoneta para ir a uma festa. Eles beberam na casa e como o professor não queria emprestar o veículo, porque o adolescente já havia se envolvido em acidente de trânsito, começou uma discussão. Então o mais novo deu dois golpes de canivete no pescoço do professor que teria ficado desnorteado. A partir de então o mais velho continuou a golpeá-lo com uma faca grande”, relata o explica o delegado Hugo Leonardo de Oliveira Melo que também investiga o caso.

Ainda de acordo com Hugo Leonardo, depois do homicídio os rapazes tomaram banho na casa do coreógrafo e foram para uma festa de motoneta. A polícia chegou aos suspeitos através do depoimento de pessoas próximas à vítima e de ligações anônimas. O celular do coreógrafo foi encontrado com o jovem de 15 anos e a motoneta estava na casa do rapaz de 17 anos, já parcialmente desmontada.

Em troca de benefícios
“O mais velho morava com uma moça e tinha um filho, mas disse que mantinha relações sexuais com o professor em troca de bens materiais e de poder utilizar a motoneta da vítima. Já o mais novo também era beneficiado com bebidas em festas, mas disse que não se relacionava com o coreógrafo”, explica o delegado Hugo Leonardo de Oliveira Melo que também investiga o caso.

Os adolescentes estão na Delegacia de Estância em celas separadas até que sejam transferidos para a Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) na capital sergipana.

 
Encontre-nos no Google+