Boletins de ocorrências no Pará terão orientação sexual das vítimas

Servidores que atendem denúncias foram capacitados para esses casos.
Maioria dos agressores conhecia as vítimas de homofobia.

Boletins de ocorrências no Pará terão orientação sexual das vítimas
Do Gay1

A partir do início de agosto os boletins de ocorrências registrados em Belém terão novos itens que devem ajudar a identificar os casos de homofobia. Nome social, orientação sexual e identidade sexual das vítimas serão registrados nos atendimentos realizados na Divisão Especializada no Combate a Crimes Discriminatórios.

A medida é comemorada pelos grupos LGBTs da capital paraense. “A mudança no Sistema foi uma das primeiras e mais importantes medidas adotadas no sentido de garantir a criação de um indicador que se aproxime da realidade e possa combater esta mazela que nos assola”, destacou a representante do movimento LGBT no Pará, Bruna Lorrane.

De acordo com as denúncias encaminhadas ao governo federal em 2011 pelo Pará, 61,9% dos agressores de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Pará conheciam as vítimas e 43,9% se diziam heterossexuais.

Polícia do Pará se capacita para receber denúncias sobre homofobia
A partir da próxima semana, os atendentes do disque denúncia do Pará estarão aptos para receber informações sobre homofobia e crimes discriminatórios. Os servidores passaram por uma capacitação nesta quinta-feira (26).

“Muitos casos de violência não são denunciados. A partir de agora, a vítima terá a certeza de que receberá um atendimento de qualidade e será bem orientada”, declara Bruna Lorrane.

A capacitação faz parte do Plano Estadual de Segurança Pública e Combate a Homofobia. Além de policiais civis, policiais militares, bombeiros, servidores do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) participarão do treinamento.

Boletins de ocorrências no Pará terão orientação sexual das vítimas
 
Encontre-nos no Google+