Mãe festeja reconhecimento de união estável de filhas lésbicas no Rio

As duas filhas participaram de cerimônia no Tribunal de Justiça.
'Queria que todas as famílias fossem assim', disse uma delas.


Por Christiano Ferreira, Do G1RJ
Família festejou união estável: Adriana (esquerda), Cleuza, Aline e Ana (Foto: Christiano Ferreira)Família festejou união estável: Adriana (esquerda), Cleuza, Aline e Ana (Foto: Christiano Ferreira)
Com duas filhas lésbicas oficializando a união estável neste domingo (1), durante a cerimônia no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Cleuza Guimarães festejou a felicidade das filhas Aline e Adriana Guimarães. "Eu acho maravilhoso", disse ela.

Aline selou a união com a companheira, Ana Cristina. Já Adriana oficializou seu relacionamento com Patrícia Feitosa. Cleuza contou que a orientação das filhas é respeitada pela maioria dos vizinhos. "Uns aceitam, outros não. A gente não dá importância. O importante mesmo é que elas sejam felizes", comentou.

Adriana e Patrícia mostram alianças; casal está junto há 10 anos (Foto: Christiano Ferreira)Adriana e Patrícia mostram alianças; casal está junto há 10 anos (Foto: Christiano Ferreira)
Além da mãe de Aline e Adriana, parentes de Ana e Patrícia também estiveram na cerimônia. Com sorriso no rosto, elas falaram sobre a relação com a família, principalmente entre irmãs e cunhadas. "É muito legal, a gente conversa sobre tudo, nunca brigamos", disse Aline. "A gente queria que todas as famílias fossem assim", ressaltou Adriana.

Os dois casais se juntaram a outros 48, que também oficiliazaram a união estável homoafetiva neste domingo. Ao final da cerimônia, que começou por volta das 15h30, eles seguiram para o salão da Bolsa de Valores, na Praça XV, onde uma festa os esperava.

Cerimônia é a primeira no Tribunal de Justiça
A cerimônia, realizada neste domingo (1), é a primeira que acontece num tribunal, e contou com 50 casais, segundo os organizadores.

Antes do evento, os casais puderam se maquiar para as fotografias. A desembargadora Cristina Gáulia conduziu a cerimônia, que contou com a presença de parentes e amigos dos casais, além de representantes do movimento LGBT. Ao todo, cerca de 350 pessoas estiveram no TJ-RJ, nesta tarde.

Em maio do ano passado, as uniões estáveis entre pessoas do mesmo sexo foram reconhecidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na época, 43 casais celebraram o reconhecimento da união durante um evento no auditório do Rio Sem Homofobia.

Durante o evento, integrantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) recolheram assinatura para o projeto "Estatuto da Diversidade", que visa a lutar pela igualdade de direitos. A ideia é recolher 1,4 milhão de assinaturas.

O coordenador do programa Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, disse que, a partir deste domingo, os interessados em converter a união em casamento poderão recorrer à Justiça. Segundo Nascimento, 40 casais presentes à cerimônia já se mostraram favoráveis à conversão.

 
Encontre-nos no Google+