Pela primeira vez, EUA autorizam militares fardados em Parada LGBT

Pentágono divulgou nota explicando que se trata de uma exceção somente para este evento.

Do Gay1, com Agências Internacionais
Foto da Parada LGBT em 2011 em San Diego, nos EUA (Foto: Gregory Bularada/AP)Foto da Parada LGBT em 2011 em San Diego, nos EUA (Foto: Gregory Bularada/AP)
O Departamento de Defesa autorizou pela primeira vez na História dos EUA o desfile de militares uniformizados em uma Parada de Orgulho LGBT. O Pentágono divulgou nota explicando que o caso se trata de uma exceção válida somente para um evento.

O motivo da permissão especial para a participação na Parada do Orgulho LGBT de San Diego, marcada para amanhã, foi o convite feito aos militares e a atenção que o caso ganhou no país.

"A parada de San Diego está honrada em ter o privilégio de celebrar nossos militares com dignidade e respeito" disse o diretor do evento, Dwayne Crenshaw. "A briga por igualdade não acabou, mas esse é um salto gigante na direção correta".

A autorização ocorreu depois que diversos oficiais dispostos a participar foram proibidos de ir fardados. Outros obtiveram permissão de seus comandantes.

"Muitos pensaram que depois do fim do 'Não pergunte, não conte' (política abolida no governo Obama que proibia militares de se assumirem sua orientação sexual ou identidade de gênero) ações discriminatórias seriam erradicadas" disse o ex-marinheiro Sean Sala, que liderou a campanha pela presença dos oficiais. "Mas os desfiles se tornaram um assunto complicado porque os comandantes usam seu próprio critério, mostrando preconceito contra a parada, ou a visão correta, de reconhecer as pessoas como são".

 
Encontre-nos no Google+