Toni Reis critica Serra por uso eleitoral do kit anti-homofobia

Toni Reis critica Serra por uso eleitoral do kit anti-homofobia
Do Terra

A polêmica envolvendo o Kit anti-homofobia está ganhando novos capítulos na campanha pela prefeitura de São Paulo. Com Fernando Haddad no centro das atenções por ser candidato do PT na capital mais importante do país, o assunto passou a ser explorado. Nesta terça-feira, ao ser questionado por jornalistas, o tucano José Serra tentou evitar a polêmica, mas classificou como ridículos e impróprios alguns aspectos do Kit. A declaração do candidato do PSDB acabou provocando a reação do presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (AGLBT), Toni Reis.

Concebido durante a gestão de Haddad no ministério da Educação, o material didático foi idealizado para combater o preconceito relacionado às questões de sexo e de gênero nas escolas da rede pública, mas teve sua distribuição suspensa por decisão da presidente Dilma Rousseff (PT), que, pressionada por setores conservadores, afirmou que o kit apresentava conteúdo inadequado por conter vídeos em que relações homossexuais são abordadas mesmo sem ver o material. Em carta endereçada a Serra, Reis se disse surpreso com a postura do candidato e pediu que os direitos LGBTs sejam assegurados.

"Eu peço, para uma boa política comprometida com o respeito a toda a população, como tem sido a marca de sua atuação nos cargos que ocupou, que continue dando ênfase à promoção indiscriminada da cidadania e da inclusão social, e que a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) não seja utilizada para gerar polêmica em época eleitoral, ou em qualquer outra época. Isto só serve para validar, banalizar e incentivar a homofobia e manter a esta população à margem da cidadania. Prezado José Serra, não manche sua biografia. Não rife nossos direitos", diz o trecho final da carta assinada pelo presidente da associação.

Em outra parte, Reis critica o uso eleitoral do assunto e a incoerência do tucano. "Durante seus mandatos como prefeito da Cidade de São Paulo e governador do Estado de São Paulo, você liderou várias iniciativas de vanguarda na promoção do respeito à diversidade sexual e às pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT). Fiquei muito entristecido pelo uso indevido do debate sobre as políticas públicas de combate à homofobia como uma arma eleitoral, referindo-se ao material educativo do projeto Escola Sem Homofobia como um 'kit gay' com 'aspectos ridículos e impróprios' para crianças".

Procurada, a assessoria do candidato José Serra enviou nota que reproduz trechos da própria carta aberta, nos quais Reis reconhece o histórico do tucano em defesa dos direitos LGBTs. O comunicado também lista ações de Serra em benefício do público LGBT, mas não responde às acusações de uso político do chamado kit anti-homofobia.

 
Encontre-nos no Google+