1ª vereadora travesti de Piracicaba, Madalena escolhe terno para posse

Líder comunitária, de 57 anos de idade, recebeu 3.035 votos.
Ela pretende ampliar a atuação social como vereadora.


Por Thomaz Fernandes
Madalena experimenta terno que usará na posse como vereadora de Piracicaba (Foto: Thomaz Fernandes)Madalena experimenta terno que usará na posse como vereadora de Piracicaba (Foto: Thomaz Fernandes)
Quando a Justiça Eleitoral de Piracicaba (SP) encerrou a apuração dos votos das eleições desse ano, no domingo (7) à noite, Madalena, de 57 anos, se tornou a primeira travesti eleita vereadora na história da cidade. Quase um personagem folclórico para os piracicabanos, Madalena recebeu 3.035 votos e teve o segundo melhor desempenho do PSDB no pleito. Para evitar que sua futura função se confunda com a imagem irreverente e quase caricata das ruas, a futura parlamentar - que é líder comunitária há 25 anos - decidiu trocar as roupas femininas pelo terno e gravata na posse.

No dia-a-dia, há 40 anos, Madalena se veste com roupas femininas (Foto: Thomaz Fernandes)No dia-a-dia, há 40 anos, Madalena se veste com roupas femininas (Foto: Thomaz Fernandes)
Madalena trabalha desde a adolescência como cozinheiro e faxineiro em casas de família e repartições públicas. Como líder social, é presidenta do centro comunitário do bairro Boa Esperança e já foi candidata a vereadora quatro vezes (1988, 2004 e 2008 e 2012), mas só neste ano obteve votos suficientes para se eleger. Madalena ficou famosa em Piracicaba pela irreverência e pelo visual: negra de corpo esguio, com quase 1,80 metro de altura, que usa roupas femininas há 40 anos.

Ela conta que o nome de batismo foi substituído por Madalena quando tinha 15 anos, já assumida. "Eu trabalhava de faxineira com a minha mãe em uma república chamada 'Canecão' e os moradores fizeram um concurso para escolher um nome de mulher para mim. Aí ganhou Madalena. Eu gostei e ficou o nome."

Travesti ou gay, ele ou ela. Muitos têm dúvidas sobre como se referir a Madalena. "Para mim tanto faz a maneira como me chamam. Quando eu me olho no espelho, vejo um homem de muita coragem. Vou usar terno e gravata na posse e quando precisar durante as reuniões. Ainda não sei se vou usar meus lenços ou fazer tranças no cabelo, mas vou continuar a ser a mesma Madalena de sempre", disse.

Popularidade
Apesar de os votos recebidos representarem apenas 1,57% do total de eleitores, a impressão de quem acompanha Madalena pelas ruas é a de que toda a cidade votou nela. Seja na casa de familiares no Jardim Oriente, no Centro ou na região da Vila Sônia, um dos seus principais redutos eleitorais, todos que a reconhecem acenam ou correm para cumprimentá-la. "Desde que saiu a notícia da minha vitória o telefone não parou de tocar. Muita gente ligou para me parabenizar."

A campanha para vereador não contou com equipe ou dinheiro. Amigos e familiares ajudaram com pequenas quantias para colocar gasolina no carro de som de um dos cabos eleitorais. "A campanha foi feita sem muitos recursos. Usei os santinhos que recebi do partido, não paguei para ninguém e nem fiz churrasco. Usei apenas um carro de som de um amigo para divulgar meu número com uma música", disse a vereadora eleita.

Propostas
Entre as causas que pretende defender durante o mandato na Câmara de Piracicaba, Madalena destaca levar melhorias para a região onde mora. "Como líder comunitária ajudei a trazer a cobertura da quadra de uma escola do bairro, na reforma de uma creche e outras melhorias. Agora vou brigar por uma praça no bairro, pois as pessoas estão precisando", completou.

Madalena: 'Quando me olho no espelho, vejo um homem de muita coragem' (Foto: Thomaz Fernandes)Madalena: 'Quando me olho no espelho, vejo um homem de muita coragem' (Foto: Thomaz Fernandes)
 
Encontre-nos no Google+