Americano diz ter ficado refém em igreja por quatro meses por ser gay

Do Page Not Found
Rapaz era acompanhado toda vez em que queria ao banheiro (Foto: Reprodução/Charlotte Observer)Rapaz era acompanhado toda vez em que queria ao banheiro (Foto: Reprodução/Charlotte Observer)
Um gay (foto) disse ter ficado refém em uma igreja evangélica da Carolina do Norte (EUA) por quatro meses depois que pastores souberam orientação sexual do fiel.

De acordo com reportagem do "Charlotte Observer", Michael Lowry, de 22 anos, alega ter sofrido abusos físicos e psicológicos no período do "cativeiro" na Word of Faith Fellowship Church. Ele diz ter ficado confinado em um dormitório de 1º de agosto a 19 de novembro do ano passado.

Michael afirma que os abusos eram parte de uma estratégia para expulsar "o demônio" do corpo que a igreja acredita que ser o responsável pela sexualidade do rapaz.

O jovem, segundo ele alega, também era acompanhado toda vez em que queria ao banheiro. Os pastores temiam que, sozinho, ele se masturbasse.

Um antigo pastor da igreja classificou a acusação de Michael como "mentirosa".

Reportagem do "Charlotte Observer" mostra que esta não é a primeira vez em que igreja, fundada em 1979, é alvo de acusações. Antigos membros dizem que eles eram obrigados a seguir uma rigorosa cartilha que determina onde morar, onde trabalhar, o que ler, como se vestir e até quando ter sexo com o marido ou a esposa.

 
Encontre-nos no Google+