Brad Pitt doa US$ 100 mil a favor do casamento igualitário nos EUA

Segundo o jornal 'The Los Angeles Times', os organizadores da campanha esperam que o apoio do ator vá estimular mais doações para a votação.

Do Gay1 Entretenimento

Brad Pitt fez a doação nesta quarta-feira (31), dias antes da eleição presidencial dos Estados Unidos (Foto: Getty Images)Brad Pitt fez a doação nesta quarta-feira (31), dias antes da eleição presidencial dos EUA (Foto: Getty Images)
O ator americano Brad Pitt lançou uma convocação aos doadores, liderando a iniciativa ao entregar 100.000 dólares para promover o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que será submetido à votação em quatro estados dos Estados Unidos na próxima semana.

O ator lançou um chamado 'urgente a realizar uma doação nas próximas 24 horas para (a ONG) Human Rights Campaing (HRC)', uma associação que defende direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na luta pela legalização do casamento igualitário. Para cada dólar doado, o ator fornecerá a mesma soma, até chegar a 100.000 dólares.

Na próxima terça-feira, junto com as eleições presidenciais, será realizado um referendo sobre a legalização do casamento igualitário nos estados de Maine (nordeste), Maryland (leste), Minnesota (norte) e Washington (noroeste).

'É nossa única oportunidade de fazer a diferença', indicou o ator na mensagem publicada no site da Human Rights Campaing, 'se são como eu, não vão querer ter que se perguntar, no dia seguinte à eleição, o que eu poderia ter feito?', afirmou o ator.

'Casais homossexuais - nossos amigos, nossos vizinhos - devem ter a mesma proteção que qualquer um', acrescentou Pitt, afirmando: 'Doem ao Fundo Nacional do Casamento do HRC agora, como eu fiz, e juntos faremos nosso país progredir até o dia em que não existam mais cidadãos de segunda classe'.

A união oficial entre pessoas do mesmo sexo não é reconhecida nos Estados Unidos em nível federal, mas está autorizada em seis de seus 50 estados e na capital federal, Washington. Também foi aprovada em outros dois estados, onde ainda deve ser votada em referendo para poder ser aplicada.
 
Encontre-nos no Google+