Cartazes homofóbicos em banheiros de universidade no Espírito Santo geram revolta

"Homossexuais de merda. Morram todos!" eram os dizeres do material.

Por Murilo Cuzzuol
Cartaz com mensagem homofóbica na porta de um banheiro no prédio da Educação, o IC4 (Foto: Reprodção/Ronam Barreto/site Gazeta Online)Cartaz com mensagem homofóbica na porta de um banheiro no prédio da Educação, o IC4 (Foto: Reprodção/Ronam Barreto/site Gazeta Online)
Dizeres homofóbicos espalhados pelos banheiros da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Goiabeiras, têm gerado revolta dentro da instituição. Nesta terça-feira (23), às vésperas do II Seminário Nacional de Educação, Diversidade Social e Direitos Humanos, a frase "Homossexuais de merda. Morram todos!", foi escrita em vários cartazes e distribuídos nos banheiros, deixando claro que o preconceito ainda é grande contra LGBTs.

A cena chocou o estudante do 9º período de História, Ronam Barreto, de 23 anos, que se deparou com um dos cartazes, fez o registro e enviou ao site Gazeta Online.

"Cheguei para apresentar um trabalho e me deparei com essa mensagem ofensiva. Como se não bastasse esse cartaz que registrei, existem outros ainda piores espalhados pela universidade. Uma situação lamentável e condenável", desabafou.

Agressão
De acordo com o universitário, os ataques não se limitam às frases preconceituosas. "O pior ocorreu quando eu montava minha apresentação no Laboratório de Informática. Um colega de sala veio desesperado em minha direção e relatou ter sido agredido dentro de um coletivo municipal por um estudante da Ufes. O ônibus estava cheio e havia apenas alguns assentos livres. Ele se sentou e o outro rapaz começou a agredi-lo com um soco inglês só porque era gay. É um absurdo", contou.

Ronam ainda lembrou que, por motivos banais, atos de preconceito são praticados no campus. Segundo ele, basta ter um comportamento diferente do que os preconceituosos entendem como correto. "Não temos liberdade nem para usar uma roupa que gostamos, pois já somos agredidos verbalmente, quando não fisicamente. Tudo isso na semana que promove a integração entre pessoas e que debate justamente a homofobia. Faremos uma carta de repúdio e leremos ao longo do evento", criticou.

Ufes
Em resposta ao caso denunciado pelo internauta ao site Gazeta Online, a Administração Central da Ufes condenou o ato manifestado por meio da frase homofóbica, e, providenciou, de imediato, a retirada dos cartazes. Entretanto, salientou não ser possível identificar o autor porque não há câmeras de monitoramento instaladas nas dependências próximas ao banheiro.

A Administração Central destacou ainda que a universidade defende a diversidade, possibilitando o debate sobre todas as questões. Prova disso é que promove e sedia, esta semana, o II Seminário Nacional de Educação, Diversidade Sexual e Direitos Humanos.

Qualquer membro da comunidade acadêmica que se sentir lesado com situação semelhante pode procurar a Ouvidoria, localizada no Centro de Vivência.

 
Encontre-nos no Google+