Haddad defende kit anti-homofobia e diz que Serra distorce os fatos

Candidato do PT à prefeitura paulistana desviou de ataques ao material feitos pelo candidato tucano na corrida municipal.

Do Gay1 SP, Com Agência Estado
Haddad evitou revidar críticas de Serra ao material para combate à homofobia (Foto: Futura Press)Haddad evitou revidar críticas de Serra ao material para combate à homofobia (Foto: Futura Press)
O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse neste domingo que não vai mais "comentar os ataques pessoais" do candidato do PSDB, José Serra. Durante rápida entrevista à imprensa pouco antes de uma carreata no bairro Jaçanã, na zona norte da capital paulista, ele evitou responder às críticas de Serra sobre o kit anti-homofobia que o Ministério da Educação estudou distribuir nas escolas no tempo em que o petista comandava a pasta.

Em entrevista ao jornal o Estado de S. Paulo, o tucano afirmou que a intenção do material era "doutrinar, em vez de educar". "É um ataque pessoal. Porque ele sempre distorce a informação; e eu não vou comentar", disse Haddad. "Eu já estou cansado deste tipo de ataques", declarou, acrescentando que prefere discutir propostas para a cidade, em vez de "coisa sem importância e que já está resolvida".

Questionado se pretende distribuir, se eleito, algum tipo de kit similar, o candidato petista respondeu que já existe algo semelhante. "A prefeitura tem o material. Tanto a Prefeitura quanto o Estado têm materiais, é constitucional", disse. Após falar com a imprensa e antes de iniciar a carreata pelo bairro da zona norte, Haddad fez um breve pronunciamento ao público presente. Entre as propostas apresentadas, prometeu mais uma vez acabar com a taxa de inspeção veicular e foi bastante aplaudido quando tocou no polêmico tema.

No fim da tarde deste domingo, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo divulgou nota por meio de sua assessoria de imprensa negando que possua um kit anti-homofobia, como foi afirmado por Haddad. "Temas como violência, uso de drogas e combate à discriminação em todos os aspectos, inclusive sexual, são abordados em programas como o 'Prevenção também se Ensina' e em outras atividades pedagógicas", diz a nota.

 
Encontre-nos no Google+