Primeiro político italiano a sair do armário é eleito governador da Sicília

A vitória de Rosario Crocetta representou o avanço da esquerda na Itália.

Do OperaMundi
Plataforma política de Rosario Crocetta é de combate à máfia (Foto: AP)Plataforma política de Rosario Crocetta é de combate à máfia (Foto: AP)
Em um pleito marcado pela abstenção de mais de 50% da população, o primeiro político italiano a assumir sua orientação sexual foi eleito para governar a região de Sicília. Com uma campanha voltada ao combate às máfias, Rosario Crocetta, de 61 anos, obteve 30,5% dos votos.

Nas eleições regionais deste domingo (28/10), o representante do Partido Democrata venceu o candidato do ex-premiê Silvio Berlusconi, Nello Musumeci, e do movimento Beppe Grillo, que ironiza a política do país, Giancarlo Cancelleri.

“Vou governar de uma forma totalmente nova. Hoje a história da Sicília mudou, pois ganhou um partido que enfrenta a máfia”, afirmou Crocetta.

O novo governador da Sicília é católico e foi prefeito da cidade de Gela, que tem pouco mais de 72 mil habitantes. “No primeiro dia de trabalho, demitirei alguns consultores que ganham grandes quantidades de dinheiro por tarefas que não são necessárias.”

O pleito na Sicília foi antecipado para este mês depois que o primeiro ministro, Mario Monti, obrigou o então governador, Raffaele Lombardo, a pedir demissão por relação com a máfia.

Assim como boa parte da Itália, a região da Sicília passa por delicado momento economicamente, fator que é considerado um dos motivos para o avanço da esquerda no país.

Para evitar nova derrota nas eleições gerais de 2013, o partido Povo da Liberdade (PDL), de Berlusconi, convocou primárias para 16 de dezembro. “Se não queremos que a esquerda governe a Itália, temos que unir esforços”, afirmou o secretário-geral do PDL, Angelino Alfano.

 
Encontre-nos no Google+