Séries de TV americanas têm número recorde de personagens LGBTs

Há 31 lésbicas, gays, bissexuais ou transexuais, afirma entidade.
Eles somam 4,4% dos 701 papéis das principais emissoras abertas.


Do Gay1 Entretenimento

O ator Chris Colfer, que faz um personagem gay na série 'Glee' (Foto: AP)O ator Chris Colfer, que faz um personagem gay na série 'Glee' (Foto: AP)
As séries de ficção transmitidas pela televisão dos Estados Unidos registraram números recordes na temporada 2012 em relação à presença de personagens lésbicas, gays, bissexuais, transexuais ou travestis, o que reflete uma tolerância maior do americano, informou nesta sexta-feira (5) um grupo defensor dos direitos LGBT.

Trinta e um personagens LGBTs representam 4,4% dos 701 personagens presentes nas séries transmitidas pelas cinco grandes redes de televisão americanas, informa a organização Gay and Lesbian Alliance Against Defamation (GLAAD). Estes constituíam 2,9% na temporada anterior, uma queda em relação a 2010 (3,9%) e muito acima de 2007 (1,1%). Na TV a cabo, 61 personagens são LGBTs, acrescenta o relatório, que não fornece um percentual.

Na Fox, somente a série musical "Glee", criada por um autor abertamente gay, Ryan Murphy, conta com seis personagens, embora os canais abertos sejam mais conservadores do que os a cabo.

"Este progresso reflete a mudança cultural na forma com que os homossexuais são percebidos no país", afirma Herndon Graddick, presidente da GLAAD. "O público quer ver em seus programas favoritos a mesma diversidade que em sua vida cotidiana."

O relatório é apresentado num momento em que há um debate nos Estados Unidos sobre uma questão recorrente em termos de polêmica, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que é fortemente combatido pelos conservadores. Três estados devem votar esta questão em 6 de novembro.

Pela primeira vez, o grupo estudou igualmente a parte dos papeis em função do grupo étnico e de gênero, contabilizando 44,5% de personagens femininos, 12% de negros e 4,1% de latinos.
 
Encontre-nos no Google+