Argentina investe forte no turismo LGBT

País montou espaço na Abav - A Feira de Turismo das Américas para divulgar exclusivamente destinos e serviços para o segmento.

Por Kátia Arima, ViajeAqui
La Boca, tradicional reduto do tango em Buenos Aires (Foto: Getty Images)La Boca, tradicional reduto do tango em Buenos Aires (Foto: Getty Images)
A Argentina continua a apostar fortemente no turismo LGBT. O país recebe cerca de 1 milhão de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais por ano, o que representa 17,7% de todos os turistas que vêm do exterior, segundo Pablo de Luca, presidente da Câmara de Comércio Gay e Lésbicas da Argentina (CCGLAR).

Na Abav - A Feira de Turismo das Américas, realizada de 24 a 26 de outubro no Rio de Janeiro, foi montado um estande dedicado especialmente para divulgar os serviços especializados no segmento. "Nosso interesse é divulgar outros destinos da Argentina para este público, além de Buenos Aires", diz Luca.

A legislação da Argentina permite o casamento civil de casais estrangeiros do mesmo sexo, desde que permaneçam pelo menos cinco dias no país. "Uma indústria nasceu com a aprovação do casamento gay. Os destinos começaram a preparar ofertas para este público. É o nicho do nicho de mercado."

Segundo Luca, brasileiros têm se casado na Argentina para abrir precedente jurídico no Brasil e defender seus direitos, já que são cidadãos do Mercosul. "Já foram realizados casamentos gays de casais de diversos países, como Austrália e Estados Unidos."

A Argentina ficou mais tolerante, segundo a CCGLAR. A percepção de homofobia diminuiu no país após a aprovação do casamento igualitário, afirma Luca. "Fizemos uma pesquisa que revelou que o índice de percepção de homofobia diminuiu nos últimos dois anos de 44% para 21%."

LGBTs procuram a Argentina pelas mesmas razões do público em geral. "Eles querem conhecer os pontos turísticos, fazer os passeios clássicos", diz Luca. Os atrativos naturais do país e a vida noturna também são aspectos que atraem o público.

Além disso, a rede hoteleira está se capacitando para receber adequadamente o segmento LGBT. "Já existe hospedagem focada neste público e a maioria dos hotéis é gay friendly. Temos feito treinamento com os funcionários e sensibilizado destinos para garantir um bom atendimento", diz.

 
Encontre-nos no Google+