Feira LGBT tem sex shops e concurso de abdômen 'tanquinho' no Rio

Organizador diz que encontrou resistência de hotéis para sediar evento.
Na semana da Parada LGBT no Rio, feira espera reunir 20 mil pessoas.


Por Tássia Thum
Homens participam de concurso para eleger o abdômen mais tanquinho (Foto: Tássia Thum)Homens participam de concurso para eleger o abdômen mais tanquinho (Foto: Tássia Thum)
Na semana da Parada do Orgulho LGBT, o Rio de Janeiro mostra por que é um dos destinos preferidos pelo por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Até segunda-feira (19), a cidade espera reunir 20 mil pessoas na primeira feira do país voltada exclusivamente para o segmento. Mais do que vender produtos e serviços, o evento transformou um galpão na Zona Portuária em um grande parque de diversões para LGBTs. O entretenimento varia do concurso de abdômen mais tanquinho ao beijo mais sexy, até aos shows de striptease e tequileiros gogo boys.

Cláudio Pepper, organizador da feira Expo Rainbow, que significa arco-íris em inglês, explica que, além do lazer, a feira oferece atendimento psicológico para quem precisa de ajuda para assumir a sexualidade.

“Geralmente é um drama comunicar à família que você é gay, então em muitas das vezes é preciso a orientação de um psicólogo. Esse é um evento que, apesar de privilegiar a diversão, não esquece da cidadania e dos direitos humanos”, conta Cláudio.

Feira LGBT espera reunir 20 mil pessoas no Rio (Foto: Tássia Thum)Feira LGBT espera reunir 20 mil pessoas no Rio (Foto: Tássia Thum)
Preconceito
Embora o Rio ostente o título de melhor destino LGBT do mundo, Cláudio Pepper diz que ainda há muito preconceito entre os empresários do ramo hoteleiro na cidade. Segundo o organizador, 44 hotéis e centros de convenção se recusaram a sediar a feira LGBT.
“Eles alegaram que não tinham interesse em sediar uma feira gay e que tinham receio de associar a marca ao público gay. Isso para mim é preconceito. O mundo dos negócios precisa se ligar que cerca de 15% da população mundial é gay, e que esse é um público consumista, atento, e que cresce em grande número”, comenta o organizador.

Vibrador, que serve como pingente de celular, faz sucesso em feira no Rio (Foto: Tássia Thum)Vibrador, que serve como pingente de celular, faz sucesso em feira no Rio (Foto: Tássia Thum)
Luzes, músculos e Gangnam Style
Luzes coloridas, corpos musculosos balançando ao som do hit sul-coreano "Gangnam Style" e uma drag queen sob patins são os responsáveis por recepcionar o público que chega à feira. A maioria dos estandes é de sex shops, oferecendo apetrechos modernos para apimentar a vida sexual, seja de casais ou de solitários. Entre as novidades, quase todas “made in China”, está um aparentemente ingênuo pingente de celular, que na verdade é um mini-vibrador.

O representante do produto, Rodrigo Salgado, explica que o mini-vibrador se tornou o queridinho das mulheres. “Elas podem levar para o trabalho, para qualquer lugar, ninguém percebe que é um vibrador. Outra vantagem, além do tamanho e do disfarce, é que a bateria é igual a de um relógio, ou seja, é fácil de achar um lugar para trocar quando a bateria acabar”, diz o representante.

Sala para sadomasoquismo é um dos atrativos da feira (Foto: Tássia Thum)Sala para sadomasoquismo é um dos atrativos da feira (Foto: Tássia Thum)
Fetiche e espaço sadomasoquista
Além dos estandes, a Expo Rainbow oferece aos seus visitantes passeios ao labirinto erótico, sessões de sadomasoquismo, dark room, castelo do fetiche, espaço voyeur, massagem sensual, entre outras atrações. Após as 23h, festas de música eletrônica e funk animam a madrugada. Os ingressos variam entre R$ 25 e R$ 30 para a feira, e vão de R$ 60 a R$ 120 para entrar nas festas do evento.

A Expo Rainbow acontece no Espaço Ação da Cidadania, que fica na Avenida Barão de Tefé, 75, na Saúde. A programação completa está disponível no site do evento.

 
Encontre-nos no Google+