Milícia líbia promete entregar ao governo 12 gays presos em festa

Segundo fonte, homens foram detidos após vizinhos reclamarem de música alta.

Do Gay1 Mundo
Foto de homens detidos por milícia líbia na semana passada (Foto: Facebook da milícia Nawasi/Lybia Herald)Foto de homens detidos por milícia líbia na semana passada (Foto: Facebook da milícia Nawasi/Lybia Herald)
A brigada líbia Nawasi, um dos principais grupos milicianos de Trípoli, prometeu nesta quarta-feira entregar ao Ministério da Justiça doze homens supostamente gays presos na semana passada. De acordo com o jornal “Lybia Herald”, o grupo foi detido em uma festa no distrito de Ain Zara, após reclamações de vizinhos sobre música alta. Fotos dos prisioneiros foram divulgadas no Facebook da milícia, onde diversos internautas sugeriram a execução do grupo, criando temores em ativistas de direitos humanos.

Apesar da ameaça, uma fonte da alta cúpula da brigada, que não quis ser identificada, disse ao “Lybia Herald” que o assassinato dos prisioneiros está fora de questão e que todos serão entregues ao Ministério da Justiça líbio ainda esta semana.

"A execução nunca vai acontecer" disse o membro da brigada. "Nós vamos entregá-los ao Ministério da Justiça" afirmou.

A fonte também assegurou que o fato dos homens serem supostamente gays não foi o principal motivo da detenção, mas sim a música alta que estava incomodando os vizinhos e a grande quantidade de drogas e de álcool achados no local.

"Esses homens não são heterossexuais, mas essa não é a razão principal por terem sido presos. O fator mais importante foi o barulho alto que eles estavam fazendo, junto com a grande quantidades de álcool e de haxixe achada por nossas buscas" disse.

Sobre as ameaças feitas no Facebook, o miliciano argumentou que a brigada não tem um escritório de comunicação e que não houve como controlar os comentários feitos pelos internautas. Na manhã de terça-feira, o post com a foto dos prisioneiros tinha sido curtido por 315 pessoas, seguido com uma série de comentários como “chicoteiem eles com força”, “queremos ver as balas” e “montem eles como camelos”.

Nesta quarta-feira, a página da milícia foi deletada para evitar mais polêmica. O Ministério da Justiça não quis comentar o assunto ao “Lybia Herald”. A milícia Nawasi é uma das mais poderosas de Trípoli e está sob a administração do Ministério do Interior.

 
Encontre-nos no Google+