Polícia investiga ameaças ao movimento LGBT no Paraná

Do Gay1, com Portal Bonde
Mais de 100 mil pessoas participaram da Parada do Orgulho LGBT em Curitiba, no Paraná, em setembro de 2012, segundo a organização do evento; público LGBT e simpatizantes lotaram a praça 19 de Dezembro (Foto: Divulgação)Mais de 100 mil pessoas participaram da Parada do Orgulho LGBT em Curitiba, no Paraná, em setembro de 2012, segundo a organização do evento; público LGBT e simpatizantes lotaram a praça 19 de Dezembro (Foto: Divulgação)
A Polícia Civil do Paraná informou que vai investigar os casos de ameaças de morte que teriam sido recebidas por ativistas ligados ao movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT). Na última quarta-feira (24), o presidente da ABGLT, Toni Reis, informou ao Portal Bonde que 15 pessoas já teriam sofrido intimidações.

De acordo com as informações iniciais que chegaram até a polícia, as ameaças partiram de telefones públicos do Paraná e foram enviadas também por e-mails.

O Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) vai concentrar o recebimento de denúncias e estará a frente das investigações. A determinação partiu de reunião realizada ainda na quarta-feira (24), entre o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Francisco José Batista da Costa, e representantes do movimento LGBT.

"Em hipótese alguma o Estado deixará que prospere qualquer tipo de homofobia. Estamos aguardando a presença das vítimas para que nos relatem o ocorrido e apresentem eventuais boletins de ocorrência que já tenham sido feitos", afirmou o delegado responsável pelas investigações, Hamilton da Paz.

 
Encontre-nos no Google+