Primeira mulher a lutar no UFC não vê MMA na TV porque namorada não deixa

Liz Carmouche será desafiante da estrela Ronda Rousey em fevereiro.

Do Gay1 Esportes
Liz Carmouche será desafiante de Ronda Rousey, o maior nome do UFC entre mulheres (Foto: Divulgação UFC)Liz Carmouche será desafiante de Ronda Rousey, o maior nome do UFC entre mulheres (Foto: Divulgação)
O nome de Liz Carmouche tem tudo para ficar marcado na história do MMA. A lutadora participará em 23 de fevereiro, contra Ronda Rousey, da primeira luta entre mulheres no UFC. Além disso, ela é o primeiro caso de atleta fora do armário no principal evento de MMA do mundo. Tudo isso a torna uma referência no esporte.

Em entrevista ao O Globo sobre o combate entre o brasileiro Júnior 'Cigano' e Cain Velasquez, ela diz não saber da palpites.

"Eu não vejo muito MMA em casa, minha namorada não deixa que eu veja. Nem temos TV a cabo para assistir às lutas. A gente assiste mais a filmes" confessa Liz, que está em Las Vegas para a promoção de sua estreia no UFC.

Para burlar a restrição em casa, Liz, de 28 anos, passa por um sufoco.

"Eu tenho que roubar o controle da televisão da casa dos pais da minha namorada para poder ver as lutas" conta, sorrindo.

Nascida no Japão, Liz foi aos 20 anos de mudança para os Estados Unidos, terra natal dos pais, já com o desejo de ingressar na Marinha americana. No Iraque passou parte dos cinco anos de sua vida militar e foi lá que aprendeu MMA, que é hoje sua profissão.

Além do cartel de sete vitórias e duas derrotas, Liz dá aulas de luta para meninas de 4 a 17 anos em San Diego, na Califórnia. Mas engana-se quem pensa que a vida de Liz restrige-se a socar e chutar suas adversárias.

"Eu gosto de pintar. Faço alguns grafites, geralmente abstratos, e aproveito para decorar minha casa. Nunca vendi minhas pinturas, mas, pelo menos, economizo na decoração" conta a lutadora, que teve a quem puxar: seu pai é militar e sua mãe é artista, atualmente trabalhando com fotografia e joias.

 
Encontre-nos no Google+