Agente penitenciário do DF é suspeito de matar companheiro por ciumes

Polícia disse que ele confessou o crime.
Homem morto tinha 37 anos e foi agredido a facadas.

Agente penitenciário do DF é suspeito de matar companheiro por ciumes
Do Gay1, com informações do Bom Dia DF da TV Globo Brasília

Um policial civil que atuava como agente penitenciário no presídio feminino do Gama confessou ter matado o companheiro a facadas por ciúmes, conta reportagem do Bom Dia DF da TV Globo Brasília. O corpo foi encontrado na casa do agente na noite desta segunda (7), no Gama, Distrito Federal.

O agente penitenciário mora em uma casa de fundos que fica na quadra 11 do Setor Leste da cidade. Imagens de celular reforçam que dentro da residência houve uma briga. O corpo da vítima, de 37 anos, foi encontrado no quarto com vários golpes de faca. Ele morreu na hora.

Um parente do suposto agressor que mora no mesmo lote, na casa da frente, chamou a Polícia Militar após desconfiar do comportamento do agente, que estava com a blusa suja de sangue.

Antes de ir à delegacia, o agente, também de 37 anos, foi levado ao hospital porque havia suspeita de que ele tivesse tomado veneno. Desconfiança que aumentou quando a polícia encontrou um caderno com mensagens de despedida.

“Achei melhor levar para o hospital para o caso de ele ter ingerido um veneno de rato, alguma coisa dessa forma”, falou o sargento Wanderley Fernandes.

Segundo a polícia, em depoimento, o agente confessou o crime. Ele teria dito que vivia um relacionamento há pelo menos sete meses com a vítima. Uma discussão teria começado durante a madrugada e ficado mais intensa no fim da tarde desta segunda-feira. O agressor afirmou que matou por ciúmes, desconfiava de uma suposta traição do companheiro.

O suspeito trabalha há quase 15 anos no presídio feminino do Gama. A PM contou que ele sofria de problemas psiquiátricos.

“Ele falou para gente que a arma dele é suspensa pela secretaria e que toma remédio controlado. que o ano passado ele passou quatro meses internado fazendo tratamento”, acrescentou o sargento Wanderley Fernandes. A faca usada no crime vai passar por perícia.

 
Encontre-nos no Google+