Discurso de Obama sinaliza que avançará na defesa dos direitos LGBT

France Presse

O presidente Barack Obama sinalizou nesta segunda-feira que irá defender os direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em seu segundo mandato prometendo, em seu discurso de posse, lutar pela igualdade de direitos para 'nossos gays irmãos e irmãs'.

Obama se tornou o primeiro presidente a fazer menção aos direitos LGBT durante um discurso de posse sendo saudado pelos ativistas -e indicando que planeja ser mais franco ao lidar com esta questão do que em relação ao seu último mandato de quatro anos.

'Nossa missão não estará completa até que nossos irmãos e irmãs gays sejam tratados como qualquer um sob a lei, pois se somos verdadeiramente iguais, então certamente o amor com que nos comprometemos uns com os outros deve ser igual também', disse Obama.

Ele fez um paralelo entre as inúmeras lutas pelos direitos cívicos na história americana -- como o das mulheres no marco da convenção de Seneca Falls em 1848, a batalha pelos direitos civis em Selma, Alabama e finalmente no caso de Stonewall, em junho de 1969, quando militantes do movimento LGBT realizaram um protesto que foi violentamente reprimido.

Os dirigentes do movimento LGBT também saudaram o discurso de Obama.

O presidente da Campanha pelos Direitos Humanos, Chad Griffin, disse que 'o apoio inequívoco do presidente à igualdade é um anúncio que todos os americanos devem comemorar'.

Ao mencionar os direitos de LGBTS em seu discurso, Obama enviou uma 'clara mensagem para jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais de que os dirigentes deste país lutarão por todos até que a igualdade se torne a lei da terra', disse Griffin em seu pronunciamento.

'O presidente Obama é o presidente mais pró-LGBT na história americana', enfatizou o diretor executivo da Força Tarefa Nacional Gay e Lésbica, Rea Carey.

'Estes próximos quatro ano são uma grande promessa pelo avanço na garantia de reconhecimento e valorização da comunidade LGBT como parte da força, espírito e solução deste país', afirmou Carey.

'O presidente Obama tem mostrado repetidas vezes que pretende lutar por nós', salientou.

Até esta segunda-feira, o presidente não havia sido tão enfático ao abraçar a causa dos direitos LGBT.

Muito mais hesitante em seu primeiro mandato, Obama disse que estava 'evoluindo' na questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Com frequência, ele afirmava que estava lutando pela extensão dos direitos do casamento igualitário, expressando algumas vezes sua preferência pelas 'uniões civis' que asseguravam aos casais do mesmo sexo muitos dos direitos legais e de proteção que casais heterossexuais tem.

'Meus sentimentos sobre este assunto estão evoluindo constantemente, Eu luto para isso', disse em um discurso televisionado em dezembro de 2010.

Desde então, Obama fez uma reviravolta se tornando um defensor explícito não apenas do casamento igualitário mas de todos os direitos para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em geral.

Quando a Suprema Corte se prepara para assumir este tema do casamento entre pessoas do memso sexo no final do ano, sua administração mudou para a busca pelo direito ao casamento igualitário e contra a Defesa do Casamento, uma lei federal, que define o casamento como uma união legal entre um homem e uma mulher e nega os benefícios federais a casais do mesmo sexo.

A Casa Branca está fazendo questão de divulgar essa parte do seu discurso em um poste do Facebook (Foto: Reprodução)A Casa Branca está fazendo questão de divulgar essa parte do seu discurso em um poste do Facebook (Foto: Reprodução)

 
Encontre-nos no Google+