Justiça do DF absolve acusado de matar lésbica a mando do pai dela

Por Daniela Novais, Do Camaraempauta.com.br
Dakota Cochrane lutador TUF (Foto: Divulgação)
O Tribunal do Júri do Gama absolveu nesta quinta (17) Dione Wagner Santos Silva da acusação de matar Edna Fernandes Liocádio a mando do pai e do irmão da moça, que não aceitavam o fato dela ser lésbica. O Conselho de Sentença não reconheceu como suficientes as provas apresentadas, para comprovar a autoria do homicídio pelo qual Dione respondia.

Durante o julgamento, o próprio Ministério Público pediu a absolvição do réu por falta de provas. Já a defesa sustentou a tese de negativa de autoria e os jurados votaram pela absolvição de Dione. Segundo a acusação, o pai e o irmão da moça teriam prometido um pagamento de R$ 300 a Dione pelo crime. Gonçalves Liocádio e Eudes Fernando Liocádio chegaram a ser denunciados pelo crime, mas morreram e a punição foi extinta. Apenas Dione, de quem se suspeitava ter recebido dinheiro para executar o crime, veio a júri popular.

O crime aconteceu em novembro de 2004, em um bar do Setor Oeste do Gama, quando Dione e outro rapaz dispararam várias vezes contra Edna Fernandes Liocádio, que morreu. Dois homens que estavam no local também ficaram feridos. Testemunhas contaram em depoimento em juízo que ouviram comentários de que o pai da vítima teria sido o mandante do homicídio e que o motivo era a orientação sexual da filha.

 
Encontre-nos no Google+