Polícia russa prende 20 ativistas contrários à lei antipropaganda LGBT

Parlamento iniciou nesta sexta-feira as três leituras que precedem as votações.

Do Gay1, com agências internacionais
Agentes russos detém ativista em protesto contra lei no país (Foto: SERGEI KARPUKHIN / REUTERS)Agentes russos detém ativista em protesto contra lei no país (Foto: SERGEI KARPUKHIN / REUTERS)
A polícia russa prendeu nesta sexta-feira 20 pessoas que protestavam contra um polêmico projeto de lei que visa a banir qualquer divulgação considerada propaganda possitiva de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no país. Alguns ativistas trocaram beijos na frente do Câmara Baixa do Parlamento russo, a Duma, mas foram impedidos de continuar a manifestação por apoiadores do projeto e por forças de segurança.

Quando os policiais iniciaram a retirada dos manifestantes da frente da Casa, partidários conservadores - alguns identificados como cristãos ortodoxos - aplaudiram a cena e jogaram ovos nos ativistas. Ao todo, cerca de 100 pessoas estavam em frente ao Parlamento, inclusive jornalistas que faziam a cobertura do evento.

A Duma inicia nesta sexta-feira a primeira das três leituras do projeto de lei, que prega o banimento da promoção de LGBTs para menores de idade. No entanto, a oposição afirma que a norma tornará ilegal qualquer evento LGBT na Rússia, sob a pena de multas de até € 12.500 (cerca de US$ 22 mil) a organizadores. A iniciativa também é uma tentativa do governo russo de se aproximar do eleitorado conservador, segundo ativistas.

"Animosidade para com gays e lésbicas está generalizada na sociedade e na Duma, que aprovou uma série de leis impopulares e espera que possa ganhar alguma popularidade com uma lei anti-gay" disse a ativista Lyudmila Alexeyeva à Reuters.

O projeto vai precisar da aprovação das duas Casas do Parlamento e da assinatura do presidente Vladimir Putin. Uma norma semelhante foi aprovada ano passado pelo governo de São Petersburgo, alertando ativistas de que a norma poderia ser elevada à esfera nacional.

Apoiadores da legislação defendem que é necessário impedir marchas e paradas do orgulho LGBT e programas em rádios e emissoras de TV que apoiem casais entre pessoas do mesmo sexo, argumentando que tal divulgação afeta o desenvolvimento das crianças na Rússia.

 
Encontre-nos no Google+