Quiosque no litoral paulista vira ‘point’ de paquera LGBTS no verão

Quiosque da Cris, em São Vicente, atrai 4 mil pessoas por dia no verão.
Clientes ressaltam liberdade e o respeito como principal atrativo do local.


Por Anna Gabriela Ribeiro
Turistas de Jundiaí frequentam o local todos os verões (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)Turistas de Jundiaí frequentam o local todos os verões (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)
Um quiosque em São Vicente virou ponto de parada 'obrigatório' do público LGBTS (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Simpatisantes) que mora e que visita o litoral de São Paulo durante o verão. O 'Quiosque da Cris' ficou conhecido no Brasil inteiro por ser um ponto de encontro do público e, com o passar do tempo, passou a atrair turistas de países como a França, Itália e os Estados Unidos.

O quiosque fica na praia do Itararé e é resultado de uma tentativa ousada da proprietária Cristiane Lopes Lorca. “Há 25 anos eu abri meu próprio negócio. Era só um carrinho de pastel. Não era a intenção inicial ser um point GLS, mas as pessoas se identificaram com o meu jeito. Eu sou gay e isso acabou atraindo este público. Hoje o quiosque é um sucesso’, afirma Cris.

Quiosque na praia do Itararé tem movimento intenso no verão (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)Quiosque na praia do Itararé tem movimento intenso no verão (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)
Ela conta que já sofreu muito preconceito e, em determinado momento, chegou até a ser agredida. Apesar disso, ela afirma que hoje em dia o local é frequentado por famílias que buscam o bom atendimento e a liberdade de comportamento. “Aqui rola muita paquera, porém, eu estou sempre em cima, de olho. Não admito pegadas mais fortes entre os casais, porque acho que tem que haver um respeito com as outras pessoas. Se queremos ser respeitados, também temos que respeitar”, diz Cris.

E é o respeito e a liberdade que os clientes mais ressaltam quando questionados sobre o que os atrai ao local. “A liberdade de andar a vontade, sem preconceito, poder andar de mãos dadas com o seu namorado, sem se preocupar sobre o que estão pensando. Isto é o melhor do Quiosque da Cris”, afirma o estudante André Salmazo.

Vários grupos de turistas vão ao local, como os amigos Túlio Ferns, Dennys William e Henrique Sprocatti, de Jundiaí (SP). Eles ressaltam o bom atendimento e afirmam que a paquera é ponto forte no local. “Daqui só sai solteiro quem quer. Rola muito paquera. Tem muita gente interessante”, conta Henrique.

Amigos frequentam o quiosque há mais de sete anos (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)Amigos frequentam o quiosque há mais de sete anos (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)
O quiosque da Cris atrai pessoas jovens e casais mais velhos, como Thalys Garcia e Cláudia Costa, que namoram há dois anos. “Gostamos de vir aqui pela base GLS, pela segurança, por saber que são todos iguais”, diz Thalys.

Para chegar ao local é bastante fácil, já que o Quiosque da Cris é decorado com as cores da bandeira do movimento LGBT. Segundo a dona do quiosque, Cristina Lorca, o point atrai turistas de diversos países, como França, Itália e Estados Unidos. “No réveillon recebemos um grupo da California, que nos presenteou com uma bandeira do estado que tem as cores do arco-íris”, diz Cris.

Cris montou o negócio sem pensar que seria sucesso para o público LGBTS (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)Cris montou o negócio sem pensar que seria sucesso para o público LGBTS (Foto: Anna Gabriela Ribeiro)
 
Encontre-nos no Google+