Morrissey solta o verbo: 'Se houvesse mais homossexuais, não haveria tantas guerras'

Do Gay1 Entretenimento

Dakota Cochrane lutador TUF (Foto: Divulgação)Morrissey (Foto: Getty Images)
Em entrevista ao site Pitchfork, publicada nesta terça-feira (26), Morrissey respondeu à pergunta "Que causas políticas eram mais importantes para você na adolescência e ainda o acompanham?", de forma inesperada. O ex-The Smiths soltou o verbo e culpou a orientação sexual por grandes conflitos.

"Eu achava que a guerra fosse o aspecto mais negativo da heterossexualidade, principalmente nos homens. Se houvesse mais homossexuais, não haveria tantas guerras, porque os homossexuais nunca matariam outros homens, ao passo que os homens heterossexuais adoram matar outros homens. Até recebem medalhas por isso", afirma.

O músico explicou sua teoria: "As mulheres não vão para a guerra para matar outras mulheres. As guerras, os exércitos e as armas nucleares são, acima de tudo, hobbies heterossexuais". Adepto do lifestyle vegano, Morrissey aproveitou a deixa para falar sobre as crueldades cometidas contra os animais.

"O gesto mais político que você pode fazer é se recusar a comer animais. Assim eu era quando adolescente, e continua sendo até hoje", completa o cantor, que recentemente se viu obrigado a cancelar vários concertos nos Estados Unidos, devido a problemas de saúde.

Sobre a música produzida atualmente, Morrissey não deixou de alfinetar estrelas do mundo pop. "As artes minguaram, porque vivemos numa era em que não somos encorajados a pensar. Um grupo como os Sex Pistols nunca poderia aparecer, hoje, e em 2013 não existe um único artista que defina as condições do seu sucesso. Quer seja a Beyoncé ou o Justin Bieber, o que vemos são cantores que não têm absolutamente nada para oferecer a ninguém", finaliza.

 
Encontre-nos no Google+