Aluno acusa professora e diretor de homofobia e preconceito religioso

Do Gay1

A Secretaria Estadual de Educação de Roraima investiga a acusação de um estudante de 17 anos que afirma ter sido ridicularizado por uma professora e pelo diretor da escola por ser gay e adepto do candomblé.

O caso ocorreu no dia 13 de março na Escola Estadual de Primeiro Grau Prof. Antônio Carlos Natalino, em Boa Vista, e foi denunciado por Vera Aparecida de Souza, que se diz "tia de criação" do adolescente M. H. O..

Segundo o relato de Vera, que é zeladora de orixá – líder espiritual do candomblé –, o jovem foi repreendido pela professora por estar com as pernas cruzadas e com um telefone celular sobre a carteira. Após uma discussão, a docente teria dito "vocês todos são nojentos", se referindo à religião e à orientação sexual do aluno diante dos colegas de classe.

O caso foi levado então ao diretor da escola, que teria lido a bíblia para o estudante, dizendo que ele deveria "aceitar Jesus". "Fui falar com o diretor, porque a mãe dele [do aluno] é muito idosa, mas ele nem quis me ouvir, gritou muito e me deu um encontrão. Denunciei ele à polícia e reclamei na secretaria de educação", disse Vera.

Desde então, o aluno não teria conseguido voltar à escola por causa da humilhação, segundo a religiosa, que afirmou já ter conseguido uma vaga para ele em outra unidade.

Procurada, a Secretaria de Educação, Cultura e Desportos de Roraima disse que o estudante denunciou o caso à ouvidoria do órgão, que ouviu os funcionários e agora colhe os depoimentos dos alunos.

A reportagem tentou contato com a família do estudante nesta segunda-feira (25), mas não obteve sucesso até o fechamento desta matéria.

 
Encontre-nos no Google+