Bill Clinton se arrepende e passa apoiar casamento igualitário

Ex-presidente assinou lei em 1996 que proíbe governo federal de reconhecer união entre pessoas do mesmo sexo, mas mudou de posição.

Do Gay1
Bill Clinton discusa na converção do partido democrata (Foto: Agência EFE)Bill Clinton discusa na converção do partido democrata (Foto: Agência EFE)
Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos, pediu à Suprema Corte para acabar com uma lei que ele assinou 17 anos atrás que bane o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Hoje, o político acredita que ela é "incompatível" com a Constituição americana.

O Ato de Defesa ao Casamento (DOMA, em inglês) foi assinado em 1996 e proibiu o governo federal de reconhecer casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Agora, Clinton disse a lei fere princípios como "igualdade" e "justiça".

"Eu passei a acreditar que o DOMA é contrário a esses princípios e, na verdade, incompatível com a nossa Constituição", escreveu o ex-presidente em um artigo que foi publicado no Washington Post.

A mudança de filosofia de Clinton coincide com o apoio que ele tem dado à administração de Barack Obama, defensor do casamento igualitário. O artigo foi interpretado como um apoio público ao atual presidente norte-americano.

No artigo, Clinton também argumentou que o DOMA foi assinado por ele "em tempos muito diferentes". Desde 1996, os americanos mudaram seu modo de pensar, disse ele.

A Suprema Corte irá analisar o pedido de Obama para liberar casamentos entre pessoas do mesmo sexo, feito no início deste mês, até o fim de março.

 
Encontre-nos no Google+