Primeira sessão da comissão de Direitos Humanos começa com bate boca

Deputados do PSC agridem 'moralmente' a deputada Erika Kokay.
Bolsonaro provocou manifestantes e disse que ‘acabou a festa gay’.


Do Gay1, com informações de Isabel Braga

A primeira sessão da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, nesta quarta-feira, já tinha tumulto entre manifestantes e alguns parlamentares antes mesmo de começar. Na primeira reunião do colegiado sob a liderança do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) provocou os manifestantes contrários a Feliciano dizendo que “acabou a festa gay”.

Nesta sessão, manifestantes evangélicos também vieram à sala onde acontece a reunião, e ocuparam todos os assentos destinados a visitantes. Mais tarde, cerca de uma hora antes do começo da sessão, grupos de defesa dos direitos de LGBT chegaram e permaneceram no corredor lateral, dentro da sala. Após serem provocados por Bolsonaro, representantes do movimento LGBT responderam:

- É esse tipo de representante que vocês querem defendendo vocês? É esse tipo de cara que vocês querem representando a igreja de vocês?

Os manifestantes evangélicos aplaudiram, e disseram que sim.

- Enquanto existir essa comissão, os viados(sic) vão estar aqui. A gente saiu do armário, quebramos o armário e não voltamos mais pra ele – disse um manifestante para Bolsonaro.

Os manifestantes pró Feliciano chegaram logo cedo na sala da comissão. Cerca de 70 pessoas aguardavam o começo da sessão.

Uma negociação foi feita com os manifestantes pela segurança da Câmara, para que integrantes dos movimentos a favor e contra Feliciano possam estar na sala da comissão.

Para a sessão de hoje, Feliciano alterou a pauta de votação e excluiu temas polêmicos. Os projetos que previam a união civil entre pessoas do mesmo sexo e o que criminalizava a “heterofobia” foram retirados. A pauta com esses itens tinha sido anunciada anteontem.

O deputado disse hoje que a pauta com esses itens que causava controversa não foi elaborada por ele, mas sim pela antiga gestão da comissão, que era presidida pelo deputado Domingos Dutra (PT-MA).

Na nova pauta constam apenas oito itens, que tratam apenas de requerimento para realização de audiência pública sobre vários temas. Dos oito itens, quatro são de autoria do presidente da comissão. Ele quer audiência para debater situação de moradores de rua, casos de exploração sexual de crianças e adolescentes, e que seja encaminhada uma solicitação ao Itamaraty para que interceda em defesa dos torcedores corintianos detidos naquele país.

Em sua página do Facebook, o deputado Jean Wyllys comentou sobre "deputados do PSC agridem moralmente a deputada Erika Kokay" que teve "seu direito de resposta expressamente proibido pelo pastor Marco Feliciano, presidente da sessão, indo contra o regimento interno da Casa", e termina sua postagem com uma saudação: "Sejam bem-vindos à nova Comissão de Direitos Humanos".

 
Encontre-nos no Google+