Candidato à Presidência do Paraguai comparou LGBTs a 'macacos'

Do Gay1 Mundo

O candidato que lidera a disputa para Presidência do Paraguai nas eleições do próximo domingo, Horacio Cartes, fez uma série de afirmações polêmicas sobre lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O jornal americano “New York Times” citou uma entrevista para uma rádio feita por Cartes, de 57 anos, que comparou LGBTs a “macacos” e disse o que faria caso seu filho fosse homossexual.

"Eu atiraria em meus próprios testículos porque eu não concordo" afirmou, segundo o jornal o candidato que também teria comparado o apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo com o ‘fim do mundo”.

O site “Gay Star News” traduziu as falas do candidato do Partido Colorado de maneira menos diplomática.

"Eu atiraria em meus próprios testículos porque eu não concordo. Eu arrancaria em meus próprios, sinceramente. Não falta na vida do meu filho" teria dito o candidato de acordo com o site.

Entre aqueles que rebatem as observações de Carter está o seu adversário, Efraín Alegre, do Partido Liberal. Alegre não apoia publicamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas ainda assim afirma que é uma questão “que precisa ser discutida”. Segundo o candidato liberal, as afirmações de oponente representam “o Paraguai do passado”.

Atualmente, o país não tem legislação para o casamento ou união civil de pessoas do mesmo sexo. De acordo com a agência Associated Press, isto não impediu que casais do mesmo sexo pedissem para serem reconhecidos por governos locais como cônjuges depois que os vizinhos argentinos conseguiram legalizar, em 2010, o casamento igualitário.

Se Carter for eleito, suas opiniões sobre a questão podem isolá-lo de outros países da América Latina. Além da Argentina, parlamentares uruguaios aprovaram uma nova legislação este mês, tornando-se o segundo país da região a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

 
Encontre-nos no Google+