Cerimônia reúne quatro casais de lésbicas em 1º casamento igualitário do PI

"Hoje é um dia de muita comemoração. Estou muito feliz", disse Lourdes.
Casamento foi realizado nesta sexta (5) em capela do Tribunal de Justiça.


Por Gilcilene Araújo e Patrícia Andrade
Alessandra Oliveira e Virgínia Lemos comemoram a união (Foto: Gil Oliveira)Alessandra Oliveira e Virgínia Lemos comemoram a união (Foto: Gil Oliveira)
Quatro casais de lésbicas oficializaram a união estável durante o primeiro casamento civil entre pessoas do mesmo sexo no Piauí. A cerimônia foi realizada nesta sexta-feira (5) na capela do Tribunal de Justiça pela juíza Zilnéia Barbosa.

A pedagoga Rosângela Alencar e a funcionária pública Lourdes Oliveira moram juntas há cinco anos, mas só conseguiram oficializar a união nesta sexta-feira. Lourdes foi casada durante 14 anos e tem três filhos de 19, 16 e 14 anos. Ela contou que após separar do marido resolveu morar com Rosângela.

Filho de Lurdes comemora união de sua mãe com Rosangela (Foto: Gil Oliveira)Filho de Lurdes comemora união de sua mãe com Rosangela (Foto: Gil Oliveira)
O filho mais velho de Lourdes acompanhou a cerimônia. Karl Marx, 19 anos, conseguiu compreender que a mãe não era feliz no casamento, mas confessou que no início foi difícil entender a relação entre duas mulheres.

“A gente costuma aceitar e achar bonito quando acontece em outra família, mas quando a situação é dentro da sua casa, não é tão fácil assim. Hoje eu sei que a minha mãe está mais feliz assim. Compreendi que ela queria mudar de vida”, disse Karl.

“Hoje é um dia de muita comemoração. Estou muito feliz e sei que aquele receio que tinha da sociedade agora não existe mais. A partir de hoje tudo será diferente”, disse Lourdes.

Morando há oito anos juntas, a psicóloga Alessandra Oliveira e Virgínia Lemos, que é professora, também comemoraram a oficialização da união. Elas não comentaram muito sobre a vida íntima, mas sabem que agora tudo será diferente. O casal agora pensa em aumentar a família.

Casais comemoram oficialização da união igualitária no Piauí (Foto: Gilcilene Araújo)Casais comemoram oficialização da união igualitária no Piauí (Foto: Gilcilene Araújo)
“Estamos felizes com o casamento. Sabemos que agora tudo será diferente. Demorou bastante para justiça reconhecer o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo.”, disse Virginia.

“Era um sonho antigo e que agora se torna realidade”, completou Alessandra Oliveira.

Para Marinalva Santana, diretora do Grupo Matizes, que luta pelos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) no estado, a cerimônia de casamento civil igualitário é um grande avanço. “É uma solenidade histórica, um divisor de águas para os nossos direitos”, ressalta.

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo foi autorizado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em outubro de 2011. De acordo com Marinalva Santana, depois da regulamentação todos os pedidos que chegam aos cartórios piauienses deixam de depender do entendimento individual de cada juiz e passam a obedecer aos critérios estabelecidos pelo Provimento nº 24/2012.

“A partir de agora o véu da censura cai por terra. A união entre homossexuais no Piauí é reconhecida. Estamos cumprindo a lei e nos próximos casamentos comunitários não haverá cerimônias separadas como esta de hoje”, disse a juíza Zilnéia Barbosa.

Casais se unem oficialmente em primeiro casamento igualitário do Piauí (Foto: Gilcilene Araújo)Casais se unem oficialmente em primeiro casamento igualitário do Piauí (Foto: Gilcilene Araújo)
 
Encontre-nos no Google+