Primeira dupla lésbica do sertanejo, 'As Bofinhas' querem quebrar preconceitos

Por Gleriston Barbosa - Expresso

Duda (esquerda) e Aline (direita) formam As Bofinhas (Foto: Divulgação)Duda (esquerda) e Aline (direita) formam As Bofinhas (Foto: Divulgação)
Duda e Aline formam 'As Bofinhas', a primeira dupla de lésbicas do sertanejo universitário no Brasil, como as próprias gostam de se referir à união musical. Tentando encontrar o espaço num meio onde cantoras e cantores e duplas aparecem o tempo todo, as meninas desejam ir além da música.

"Queria criar algo diferente, algo que não existisse ainda. A intenção é quebrar paradigmas e preconceitos, mostrando à sociedade como um todo que somos todos iguais" disse Duda, que faz a primeira voz e é moradora do Rio.

O curioso é que As Bofinhas nasceram antes de ter uma música. Elas se conheceram na internet, fizeram uma página no Facebook, e os pedidos por um som com o temática LGBT choveram. Foi quando surgiu “A onda agora é só ficar”, sucesso no YouTube.

Mas a canção que realmente vai representar a dupla e levantar a bandeira de vez é a “Miss gay Brasil”, que ainda está sendo produzida. A letra e a música foram feitas pelos compositores Carlos Colla e Paulo Debétio.

A dupla não forma um casal, mas existe uma explicação básica dada por Duda, aos risos: "Somos machinhos, não nos batemos".

Aline, que faz a segunda voz e toca violão, mora em São Paulo e é evangélica. Ela diz que Deus ama o homem incondicionalmente, e que está muito feliz com o andar da carruagem: "Vamos conseguir levar nossa mensagem a todos. Duda e Aline já fizeram pequenas apresentações em São Paulo e Brasília. A banda, porém, ainda está sendo formada".

Será que elas conquistam o Brasil? É esperar para ver e ouvir.

 
Encontre-nos no Google+