França adverte que não tolerará violência em protesto contra casamento igualitário

Agência EFE

O ministro do Interior francês, Manuel Valls, advertiu nesta sexta-feira que o governo de seu país não tolerará nenhuma ameaça nem violência 'antes, durante ou depois' da manifestação convocada para domingo em Paris em protesto contra a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Valls fez as declarações depois de se reunir em Madri com o ministro do Interior espanhol, Jorge Fernández Díaz, para encerrar o IV Comitê de Planejamento e Coordenação estratégica de segurança dos dois países.

Perguntado sobre a polêmica gerada pela aprovação do casamento igualitário em seu país, o ministro francês lembrou que a lei foi ratificada pelo Tribunal Constitucional e que o direito de manifestação também é constitucional.

No entanto, advertiu que não serão toleradas as 'ameaças de morte' que personalidades que se pronunciaram a favor ou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo receberam.

Valls disse que o fato de que seu departamento se veja obrigado a proteger essas pessoas mostra que 'é um problema'.

O ministro também explicou que algumas dessas ameaças vêm de grupos de extrema de direita que 'estão desafiando as leis da República francesa'.

Em sua opinião, as ameaças das organizações que incitam a 'se sublevar' contra as instituições 'são inadmissíveis', assim como os atos homofóbicos e racistas.

'É um aviso muito claro: não vamos admitir nenhuma violência antes, durante ou depois da manifestação' de domingo, concluiu Valls.

 
Encontre-nos no Google+