Holanda e Espanha estão entre países mais tolerantes com LGBT

Da Agência EFE
Na Holanda, além das ruas, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais também invadiram o mar durante Parada do Orgulho (Foto: Robin Utrecht/EFE)Na Holanda, além das ruas, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais também invadiram o mar durante Parada do Orgulho (Foto: Robin Utrecht/EFE)
Holanda, Dinamarca, Finlândia e Espanha estão entre os países europeus mais tolerantes com lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), segundo um estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Holandês de Estudos Sociais (SCP, na sigla em holandês).

Os dados foram divulgados em coincidência com a realização na Holanda da primeira conferência internacional sobre emancipação de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na qual mais de 700 especialistas analisarão a situação desse grupo social na Europa e no resto do mundo.

Com o tema 'União de forças, passos adiante na Europa e além', o congresso, que durará dois dias e acontece na cidade de Haia, é um fórum de debate para analisar 'como pode ser melhorada a emancipação de homossexuais, lésbicas e transexuais em escala europeia', segundo um comunicado da organização.

O SCP divulgou hoje os dados de um estudo sobre o nível de aceitação de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na sociedade atual e no qual se indica que a Espanha é um dos países europeus com um maior aumento do nível de aceitação de LGBT nos últimos 30 anos.

'Com 82% da população que pensa que os homossexuais são livres de viver a vida que queiram, a Espanha mostrou uma consistente tendência à tolerância nos últimos anos', assinala o estudo intitulado 'Rumo à tolerância'.

Com esse número, a Espanha está junto com a Holanda, Dinamarca e Finlândia, entre os países europeus mais tolerantes, nos quais mais de 75% da população acredita que LGBT são livres para viver a vida que quiserem.

Esse estudo mostra também que na Holanda apenas 4% da população desaprova essa comunidade, contra 15% de há seis anos, e aponta que os grupos que menos tolerância têm em relação a eles são marroquinos (62%), turcos (54%), praticantes religiosos (26%) e eleitores do partido anti-islamita PVV (10%).

No entanto, 20% dos holandeses acreditam que heterossexuais e homossexuais não deveriam ter os mesmos direitos em adoções, 29% considera ofensiva a imagem de dois homens se beijando, 19% opina de forma similar no caso de duas mulheres e 14% no caso de serem pessoas de sexo diferente.

O estudo holandês indica que nos países do Leste da Europa 50% das pessoas têm uma visão negativa da homossexualidade, um número que não variou na última década.

A conferência conta também com a participação de delegações do Conselho da Europa, defensores dos direitos LGBT de grupos internacionais da Polícia, ativistas e estudantes.

 
Encontre-nos no Google+