63% dos brasileiros aceitariam ter um filho ou uma filha LGBT, diz pesquisa

Levantamento do Data Popular, divulgado na sexta-feira (31), ouviu 1.264 pessoas de cem cidades em todas as regiões do país nos três primeiros meses deste ano.

Publicado em 05/06/13 às 13:43

Levantamento do Data Popular, divulgado na sexta-feira (31), ouviu 1.264 pessoas de cem cidades em todas as regiões do país nos três primeiros meses deste ano.
Do Gay1

Foto: Getty Images

Levantamento foi divulgado na sexta-feira (31)
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular diz que 63% dos brasileiros aceitariam ter um filho ou uma filha lésbica, gay, bissexual, travestis ou transexual. O resultado do levantamento foi divulgado nesta sexta-feira (31).

Já 37% não aceitariam, o índice de rejeição é dez pontos porcentuais menor do que o daquelas que aceitariam se o seu filho ou filha se declarasse LGBT (47%). A taxa de rejeição, no entanto, ainda é considerada alta pelo Instituto. Ela é superior entre os homens – 45% disseram que não aceitariam um(a) filho(a) LGBT – e entre as pessoas com mais de 50 anos – 46% rejeitariam seus filhos.

O Insituto perguntou "Você aceitaria numa boa ter um(a) filho(a) homossexual?" a 1.264 brasileiros de cem cidades em todas as regiões do país. O levantamento foi feito nos três primeiros meses deste ano.

Apenas entre os mais jovens, com idades entre 16 e 34 anos, a resposta positiva foi dada por mais de 50% dos entrevistados.

O estudo aponta ainda uma divisão em relação à opinião sobre os direitos dos casais de pessoas do mesmo sexo. 42% concordam e 38% discordam que casais do mesmo sexo tenham acesso aos mesmo direitos que aqueles considerados "casais tradicionais".

Segundo dados preliminares do Censo Demográfico 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem mais de 60 mil casais de pessoas do mesmo sexo. A pesquisa é anterior à regulamentação do casamento igualitário no país, aprovada em uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no último dia 14 de maio.
 
Encontre-nos no Google+