Maria do Rosário diz que vai trabalhar contra projeto de suposta 'cura gay'

Projeto foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara e ainda deve passar por duas comissões na Câmara e Senado.

Publicado em 18/06/13 às 23:24

Por Mariana Jungmann, Da Agência Brasil

Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário
A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, disse nesta terça-feira (18) que vai trabalhar para que o projeto que autoriza psicólogos a oferecer suposta 'cura' para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, não seja aprovado em outras comissões da Câmara dos Deputados.

O projeto foi aprovado hoje na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara e será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania (inclusive quanto ao mérito).

"Quando o projeto fala em cura, ele considera que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais como pessoas que estão doentes e não considera a diversidade sexual como um direito humano que deve ser respeitado. As pessoas têm a liberdade de serem como são, de acordo com a sua própria identidade. O básico é dizermos que o projeto é muito ruim e eu espero que ele não seja aprovado", disse a ministra após encontro com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), o projeto quer suprimir um dos trechos da Resolução nº 1/99 do Conselho Federal de Psicologia, que proíbe profissionais da área de participar de terapia para alterar a orientação sexual e de atribuir caráter patológico (de doença) à suas sexualidades. Profissionais também não podem adotar ação coercitiva para orientar LGBTs para tratamentos não solicitados atualmente.

A ministra esteve no Senado para levar sugestões de uma agenda comum de direitos humanos com matérias que são de interesse da pasta comandada por ela. As propostas incluem projetos que tratam de crimes de ódio, tortura e trabalho escravo.

Segundo Maria do Rosário, os relatores de matérias sobre esses crimes já apresentaram pareceres que ela avaliou como positivos. "Nós teremos a possibilidade de aprovar essas matérias com o apoio do presidente Renan Calheiros", concluiu a ministra.
 
Encontre-nos no Google+