Casal se inscreve para realização o primeiro casamento igualitário no Uruguai

Primeira inscrição para casamento homossexual ocorreu nesta segunda (5). Lei do Casamento Igualitário foi promulgada em maio por presidente.

Publicado em 05/08/13 às 12:50

Da EFE

Rodrigo Borda (dir.) e Sergio Miranda exibem suas alianças

Foto: EFE

Rodrigo Borda (dir.) e Sergio Miranda exibem suas alianças
Após 14 anos de relacionamento, Sergio Miranda e Rodrigo Borda se tornaram nesta segunda-feira (5) o primeiro casal do mesmo sexo a se inscrever no Registro Civil uruguaio para se casar, com a entrada em vigor da Lei do Casamento Igualitário no país.

Miranda e Borda anteciparam que sua intenção é celebrar o casamento em setembro, coincidindo com o Mês da Diversidade Sexual no Uruguai.

O casal, que foi no começo da manhã ao cartório, dirige a revista 'Friendly Map', voltada ao público LGBT uruguaio e está junto desde 1999.

Cercado por jornalistas que foram ao cartório, Miranda destacou à imprensa que hoje "é um dia de muita alegria, emoção e responsabilidade" e opinou que o Uruguai está dando ao mundo 'um sinal de que todos somos iguais, em um momento em que em outros países há leis que oprimem e perseguem os homossexuais'.

A seu lado, Borda explicou que decidiram tornar público o momento para "desmitificar" as relações entre pessoas do mesmo sexo e para que todas as pessoas "não só se sintam incluídas, mas também incluam".

Ambos destacaram que, apesar de a nova lei significar um avanço, ainda "há muito a fazer" e que outros grupos LGTB continuam sofrendo discriminação, "especialmente transexuais".

A Lei do Casamento Igualitário foi aprovada no dia 10 de abril pela Câmara dos Deputados, após passar pelo Senado. O casal precisará esperar 11 dias mais para escolher a data da união civil.

O presidente do Uruguai, José Mujica, promulgou a lei em 3 de maio e ela entrou em vigor 90 dias depois da assinatura presidencial.

Além dessa lei, no último ano e meio o Parlamento Uruguaio aprovou a descriminalização do aborto e iniciou o trâmite de legalização da maconha, com a aprovação na quarta-feira passada na Câmara dos Deputados do projeto de lei que deve ser ratificado pelo Senado.
 
Encontre-nos no Google+