Montagem compara vereadora negra e travesti de Piracicaba a chimpanzé

Site de humor manipulou foto de maneira preconceituosa. Madalena registrou ocorrência por injúria na Polícia Civil nesta sexta-feira.

Publicado em 02/08/13 às 23:09

Do Gay1 SP

Reprodução/internet

Foto: Reprodução/internet

Montagem compara vereadora negra e travesti de Piracicaba a macaco.
Primeira travesti eleita para a Câmara de Piracicaba (SP), a vereadora Madalena (PSDB), de 57 anos, foi alvo de uma ação preconceituosa na internet. A parlamentar, que é negra, descobriu a veiculação de uma fotomontagem em que é comparada a um macaco e registrou boletim de ocorrência por injúria na tarde desta sexta-feira (2).

A imagem, manipulada a partir de uma foto publicada no site G1, mostra Madalena em frente a um espelho. Só que, no lugar do reflexo, a montagem utiliza a cara de um chimpanzé. A foto original, de autoria do jornalista Thomaz Fernandes, ilustrou reportagem em que Madalena, dias após ser eleita em outubro de 2012, escolheu o terno para a posse.

Madalena é líder comunitária e teve 3.035 votos na eleição passada. A montagem, postada em 31 de julho, foi localizada por um sobrinho de Madalena no site www.antietico.com, que é descrito pelos autores como "um blog de humor que mostra coisas que não são tão engraçadas".

Thomaz Fernandes

Foto: Thomaz Fernandes

A foto original foi publicada no site G1 em outubro do ano passado.
Imagem removida
Por email, sem revelar nomes, os administradores do site informaram que removeram a foto assim que souberam do registro policial.

"Pedimos desculpas pelo ocorrido. O post foi criado por um dos autores do blog, mas a imagem já foi retirada do site. A montagem não é de nossa autoria, foi retirada da internet, e tudo que é postado na internet que se torna público", relataram.

Investigação
O chefe de gabinete de Madalena, Felipe Bicudo, disse que o setor de informática da Câmara rastreou a origem da publicação na internet, que teria partido de um estudante universitário morador de Artur Nogueira (SP).

Reproduções das montagens foram entregues à Polícia Civil, que deve apurar as responsabilidades. Por meio de assessoria, a vereadora informou que não iria se pronunciar sobre o assunto nesta sexta-feira. O Departamento Jurídico da Câmara também acompanhará o caso.
 
Encontre-nos no Google+