Ricky Martin admite que tinha ‘homofobia internalizada’

Cantor porto-riquenho saiu do armário em 2010, e falou sobre o assunto em entrevista à revista GQ.

Publicado em 27/08/13 às 15:24

Do Gay1 Entretenimento

Foto: Divulgação/GQ Austrália

Ricky Martin é pai de gêmeos com quem cria junto ao parceiro.
O cantor porto-riquenho Ricky Martin, de 41 anos, que se saiu do armário em 2010, afirmou que antes de divulgar sua orientação sexual para o público, ele sofria de “homofobia internalizada” e chegou a praticar bullying com pessoas LGBT. Pai de dos filhos, a estrela pop diz que a vinda das crianças mudou sua percepção de mundo.

“Eu olho para trás agora e percebo que eu praticava bullying com aqueles que eu sabia serem gays”, conta Ricky na edição de setembro da revista GQ Austrália. “Eu tinha homofobia internalizada. Perceber isso foi me confrontar. Eu queria ficar longe disso”.

O cantor, que tem seu início de carreira com a boyband Menudo, há quase três décadas, afirmou à revista que se tornar pai dos gêmeos Matteo e Valentino, com quem cria junto ao parceiro Carlos Gonzalez Abells, mudou sua visão sobre a vida. “Eu não queria que eles (seus filhos gêmeos) crescessem em meio à mentiras ... ou que eles pensassem que havia algo de errado em ser gay”.

Jurado da versão australiana do programa de calouros “The Voice”, falou também do desafio que foi para ele “sair do armário”: “Eu senti uma onda de amor vinda dos meus fãs, mas também senti as críticas. Mas, eu amei tudo isso. Eu amo a honestidade e a verdade”.

Em outubro, após as gravações do programa de tevê, Ricky Martin vai começar uma nova turnê mundial. Seu objetivo é dar a toda uma nova geração de fãs a chance de experimentar “la vida loca”.

Depois de anos de especulação, a cantor se assumiu gay através de um longo comunicado, em seu site. Na época, ele escreveu: “Tenho orgulho de dizer que sou um homem homossexual afortunado. Eu sou muito abençoado por ser quem eu sou”.

 
Encontre-nos no Google+