STF abre inquérito para investigar se Bolsonaro foi racista com Preta Gil

Deputado disse que não se referia a negros e sim a gays.

Publicado em 14/08/13 às 23:45

Da Agência Brasil

Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara

O deputado Bolsonaro durante discurso no plenário da Câmara
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso autorizou abertura de inquérito para investigar se o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) cometeu crime de racismo contra a cantora Preta Gil. O fato ocorreu em 2011, durante entrevista ao programa "CQC", da TV Bandeirantes.

A cantora perguntou a Bolsonaro como ele reagiria se seu filho dissesse que está namorando uma negra, e ele respondeu que não discutiria promiscuidade com ela. "Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem-educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu", completou. Posteriormente, ele se defendeu dizendo que não havia entendido a pergunta direito e acha que fosse sobre gays.

O pedido de abertura de inquérito foi apresentado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) em julho, e Barroso autorizou o prosseguimento das apurações no início de agosto. Ele entendeu que há "elementos indiciários mínimos da ocorrência do fato e de eventual autoria por pessoa com foro por prerrogativa de função".

O processo foi encaminhado à Polícia Federal, que vai pedir cópia do material gravado com Bolsonaro, sem edição, à Bandeirantes. Em seguida, a PGR vai analisar se os indícios sustentam oferecimento de denúncia. Se a Corte concordar com os argumentos do Ministério Público, Bolsonaro se torna réu em ação penal.
 
Encontre-nos no Google+