Ativista é preso durante entrevista em protesto contra leis 'antigays' da Rússia

Manifestante foi interrompido e detido quando explicava intenção do ato em frente ao Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Publicado em 26/09/13 às 12:06

Do Gay1, com SportTV

Foto: Reprodução/SporTV

Ativista russo concedia entrevista quando foi levado por policiais em Moscou.
No dia em que os locais de competição dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, passaram pela inspeção final, ativistas voltaram a se manifestar contra as leis 'antigays' na Rússia e escolheram a sede do Comitê Organizador, em Moscou, para protestar. Os manifestantes foram detidos pela polícia quando se aproximaram da entrada do prédio e um deles foi levado diante das câmeras, no exato momento em que concedia entrevista e explicava a intenção do grupo.

"Nós estamos protestando contra as violações aos direitos LGBT na Rússia, contra a proibição aos nossos protestos pacíficos em Sochi. Nossa tentativa de registrar a organização do orgulho gay em Sochi foi considerada ilegal e extremista, então, estou jogando com as palavras aqui "Olympic Games" (Jogos Olímpicos), Olympic Gays. Ninguém teria problema com isso em qualquer lugar do mundo, mas na Rússia, por algum motivo..." explicava o ativista, quando foi interrompido e levado por policiais.

Como a lei russa proíbe qualquer tipo de manifestações a favor dos direitos LGBT, a questão é frequentemente discutida e contestada por quem integra ou apoia o movimento LGBT e gerou polêmicas também entre os atletas. Alguns demonstraram apoio, especialmente durante o Mundial de Atletismo, quando a russa Yelena Isinbayeva aumentou a repercussão ao defender a legislação, afirma que os russos não gostavam de demonstrações públicas de LGBT, que acontece de 7 a 23 de fevereiro, em Sochi.

Apesar do protesto desta quarta-feira ter sido pacífico, dez manifestantes dos direitos LGBT foram detidos. Eles foram liberados e, segundo o jornal "The Moscow Times", serão acusados de realizarem um evento não autorizado pelas autoridades.
 
Encontre-nos no Google+