Chileno é condenado à prisão perpétua por morte de jovem gay

Daniel Zamudio, de 24 anos, morreu depois de 24 dias em coma em março do ano passado.

Publicado em 30/10/13 às 11:05

Do Gay1, com Agências Internacionais

Foto: Reprodução

O jovem Daniel Zamudio, de 24 anos, morto após ser espancado no Chile.
Um tribunal chileno condenou Patricio Ahumada à prisão perpétua pelo assassinato do jovem gay Daniel Zamudio, e a penas de 7 e 15 anos outros três envolvidos no crime. Zamudio, de 24 anos, morreu depois de 24 dias em coma, em março do ano passado, num crime que gerou grande polêmica no país.

"É uma pena exemplar, eles vão apodrecer na cadeia" disse Iván Zamudio, pai da vítima, após a divulgação da sentença.

Os quatro já haviam sido declarados culpados em outubro, depois que a justiça determinou que eles tiveram responsabilidade no brutal ataque sofrido por Zamudio em um parque no centro da capital Santiago, segundo a investigação judicial. Ahumada, que depois de 20 anos poderá pedir benefícios carcerários, foi considerado o líder do grupo que golpeou o jovem até provocar sua morte. A defesa dos condenados tem 10 dias para recorrer da sentença.

Túmulo de jovem vítima de homofobia vira santuário no Chile

O jovem foi encontrado por um guarda na manhã do dia 3 de março de 2012. O segurança declarou que “nunca havia visto uma agressão tão brutal”. Zamudio levou chutes, socos, cortes e queimaduras, teve suásticas desenhadas pelo corpo com cacos de vidro e a perna direita fraturada com uma pedra de oito quilos. A comoção causada pelo crime levou à aprovação de uma lei contra a discriminação, que leva o nome de Zamudio.
 
Encontre-nos no Google+