Confrontos em ato por direitos LGBT termina com 20 detidos na Rússia

O presidente russo promulgou no fim de junho uma lei de condenação à propaganda positiva LGBT.

Publicado em 12/10/13 às 11:28

Da AFP

Foto: Reuters

Manifestantes se beijam durante ato anti-homofobia em São Petersburgo.
Vinte pessoas foram detidas neste sábado em São Petersburgo, segunda cidade da Rússia (noroeste), em confrontos durante uma ação de militantes de defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, observou um fotógrafo da AFP.

Os 20 militantes se reuniram perto de um complexo comemorativo do Campo de Marte, em pleno centro de São Petersburgo, onde agitaram bandeiras com as cores do arco-íris e cartazes nos quais era possível ler, entre outros, "Parem com a homofobia na Rússia!".

Mas o ato foi interrompido quando um grupo de cerca de 50 cristãos ortodoxos, que interpretavam cantos religiosos e oravam, atacaram ativistas LGBT, comprovou um jornalista da AFP.

A polícia interveio e deteve 20 pessoas, incluindo ativistas dos dois lados.

O presidente russo, Vladimir Putin, promulgou no fim de junho uma lei de condenação à propaganda positiva LGBT, que proíbe paradas, marchas, caminhas ou qualquer manifestação de direitos.

Denunciado por muitos defensores dos Direitos Humanos na Rússia, que acreditam que sua formulação aberta abre caminho a uma interpretação muito ampla, este texto provocou fortes reações entre os defensores dos direitos LGBT no mundo.

Foto: Reuters

A polícia interveio e deteve 20 pessoas, incluindo ativistas dos dois lados.
 
Encontre-nos no Google+